Noruega retira candidatura de Oslo para Olimpíada de Inverno de 2022

quarta-feira, 1 de outubro de 2014 21:12 BRT
 

OSLO (Reuters) - O governo da Noruega está retirando a candidatura de Oslo para sediar a Olimpíada de Inverno de 2022, informou o país nesta quarta-feira, deixando a chinesa Pequim e Almaty, no Cazaquistão, como as únicas concorrentes no páreo depois da desistência da maioria das candidatas em potencial.

A Noruega, que já sediou o evento duas vezes e conquistou mais medalhas nos Jogos de Inverno que qualquer outra nação, irá desistir da disputa porque o governista Partido Conservador e o Partido do Progresso se recusaram a apoiar a competição, pedindo ao governo que não se inscreva.

“Recebemos um conselho claro, e não há razão para não segui-lo”, afirmou a primeira-ministra conservadora, Erna Solberg. “Um projeto grande como este, que sai tão caro, exige apoio popular amplo, e não há apoio suficiente para ele”.

A Olimpíada de Inverno deste ano em Sochi, na Rússia, custou inéditos 51 bilhões de dólares, e embora a Noruega tenha prometido um evento por um décimo desta cifra, os defensores da candidatura não conseguiram angariar apoio suficiente, em parte por causa dos temores de que o custo de sediar o evento pudesse inflar.

“Os parlamentares do Partido Conservador estão divididos e não podem aconselhar o governo a ir adiante com a Olimpíada. Nós, portanto, pedimos ao governo que cancele o processo de inscrição”, declarou o legislador conservador Trond Helleland.

O Comitê Olímpico Internacional (COI) classificou a desistência de Oslo como uma oportunidade desperdiçada para o país, seu povo e seus atletas.