Chileno Mayne-Nicholls considera concorrer à presidência da Fifa

quarta-feira, 8 de outubro de 2014 13:43 BRT
 

Por Mike Collett

LONDRES (Reuters) - Harold Mayne-Nicholls, ex-chefe do comitê técnico da Fifa que alertou a federação internacional contra a realização da Copa do Mundo de 2022 no Catar, considera concorrer à presidência da entidade no ano que vem.

Se entrar na disputa, Mayne-Nicholls será o terceiro candidato na eleição, ao lado do atual mandatário e favorito absoluto, o suíço Joseph Blatter, e do ex-secretário-geral da Fifa Jerome Champagne, um francês de 56 anos.

O chileno Mayne-Nicholls, de 53 anos, já foi presidente da Federação Chilena de Futebol e esteve à frente da comissão técnica da Fifa que avaliou todas as candidaturas para as Copas do Mundo de 2018 e de 2022.

"Estou avaliando a situação. É uma ideia muito boa, mas preciso ser cuidadoso com a decisão", disse ele à Reuters nesta quarta-feira.

"Se eu decidir concorrer não será uma candidatura presencial, vou fazer o meu melhor para vencer, esse será meu objetivo", acrescentou.

Mayne-Nicholls foi o primeiro dirigente do alto escalão a se manifestar abertamente contra a realização da Copa do Mundo no calor do verão no Golfo Pérsico, e a candidatura do Catar foi classificada em último lugar entre todas as concorrentes para 2022, atrás de Estados Unidos, Austrália, Coreia do Sul e Japão.

Ele precisa ter o apoio de ao menos cinco federações nacionais para poder concorrer à presidência da Fifa, e se vencesse seria apenas o segundo não europeu a comandar a federação internacional em seus 110 anos de história. O brasileiro João Havelange foi presidente da Fifa de 1974 a 1998.

 
Dirigente chileno Harold Mayne-Nicholls, em foto de arquivo. 16/08/2014 REUTERS/Alexander Demianchuk