Dunga deve repetir time de primeiros amistosos; Kaká e Robinho no banco

quinta-feira, 9 de outubro de 2014 15:27 BRT
 

(Reuters) - O técnico Dunga deve manter a base do time que venceu os amistoso contra Colômbia e Equador em setembro para o clássico com a Argentina, no sábado, em Pequim, tendo como única mudança a entrada do volante Elias na vaga do lesionado Ramires.

Dunga deve escalar o time com Jéfferson, Danilo, David Luiz, Miranda e Filipe Luis; Luiz Gustavo, Elias, Willian e Oscar; Diego Tardelli e Neymar. Se a tendência for confirmada, os experientes Robinho e Kaká vão ficar como opções no banco de reservas.

Elias, do Corinthians, se mostrou animado com a possibilidade de ser titular num clássico com a Argentina. O jogador ganhou a chance porque, além da lesão de Ramires, Fernandinho, reserva imediato do jogador do Chelsea, também está machucado.

“Estou tranquilo, a oportunidade surgiu e estou preparado”, disse ele a jornalistas em Pequim. “O que o Dunga pediu foi para todo mundo estar bem e chegar no jogo com confiança”, acrescentou o volante, de 29 anos.

Elias deve jogar como segundo homem de meio-campo e exercer a função executada por Ramires nos últimos amistosos do Brasil. Ele acredita que tem um futebol mais parecido com o do jogador do Chelsea do que com o estilo de Fernandinho, do Manchester City.

“Jogo mais como o Ramires. O Fernandinho vem jogado como primeiro volante no City, o Ramires marca mais forte do que eu, mas eu chego mais forte no ataque, mas os três poderiam jogar juntos sem problemas”, analisou.

O atacante Diego Tardelli, que não esteve na Copa do Mundo, parece ter agradado ao técnico Dunga e se tornou o novo companheiro de Neymar no ataque brasileiro. No Mundial, o centroavante Fred era o companheiro de Neymar.

“Acho que cheguei no momento que o futebol mudou e o camisa nove também mudou sua função. É uma oportunidade boa num momento mais veloz que se encaixa comigo”, disse Tardelli, que também tem 29 anos e acredita que pode jogar o Mundial de 2018, na Rússia. “Espero estar voando ainda em 2018”.

(Por Rodrigo Viga Gaier, no Rio de Janeiro)

 
Técnico Dunga, em foto de arquivo. 01/07/2010 REUTERS/Paulo Whitaker