12 de Outubro de 2014 / às 14:37 / 3 anos atrás

Hamilton vence GP da Rússia e Mercedes leva o Mundial de Construtores

SOCHI Rússia (Reuters) - Lewis Hamilton venceu o primeiro Grand Prix de Fórmula 1 realizado na Rússia e aumentou sua vantagem na liderança da temporada para 17 pontos nesse domingo, com direito a dobradinha da Mercedes que deu à escuderia seu primeiro título do Mundial de Construtores. 

O inglês, que largou na pole, registrou sua quarta vitória na sequência e a nona desta temporada contando com um erro do seu companheiro de equipe, o alemão Nico Rosberg, que na primeira curva fritou os pneus e teve de ir aos boxes. 

Com 100 pontos ainda a serem disputados nas últimas três provas, graças à pontuação dupla de Abu Dhabi, Hamilton soma 291 pontos contra 274 de Rosberg. 

Campeão mundial de 2008, Hamilton também se tornou apenas o quarto piloto na história da F1 a vencer nove corridas em uma mesma temporada, e ainda igualou o recorde do compatriota Nigel Mansell com 31 vitórias na carreira. 

Nesta tarde quente e ensolarada no balneário do Mar Negro, Rosberg fez uma sólida corrida de recuperação, saindo do 20º lugar após seu pit stop na segunda volta para a vice-liderança da prova. 

"Nico fez um grande trabalho para se recuperar de seu erro" disse Hamilton. "Conquistar o primeiro Mundial para a Mercedes é fantástico. É um grande dia. É muito legal vencer a primeira corrida realizada aqui."

PUTIN PRESENTE

O finlandês Valtteri Bottas foi o terceiro colocado com a Willians, e autor da volta mais rápida, em uma corrida que contou com a presença do presidente russo Vladimir Putin, ansioso para ver a estreia do seu circuito cuja paisagem trazia alguns dos equipamentos utilizados nos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi, realizados no início do ano.

Putin também entregou os troféus aos pilotos, em momento que Hamilton descreveu como "surreal", com os pilotos, cautelosos, esperando Putin deixar o pódio antes da famosa chuva de champagne.

A dobradinha da Mercedes foi a nona na temporada, faltando apenas uma para igualar o recorde da McLaren em 1988. O título também põe fim à hegemonia da Red Bull, que durou quatro anos. 

"Parabéns à Mercedes pelo que conquistaram nesta temporada, foram fenomenais", elogiou o diretor da Red Bull Christian Horner, que também prometeu trabalhar duro para trazer o troféu de volta para a escuderia em 2015. 

HOMENAGEM

Antes do início da prova deste domingo, os 21 pilotos fizeram, em círculo, um minuto de silêncio em homenagem a Jules Bianchi, que continua em estado crítico após o terrível acidente no Japão na semana passada. 

A equipe do piloto, a Marussia, disputou a prova com apenas um carro, mantendo o de Bianchi na garagem, mas não teve sorte com o inglês Max Chilton, que disputou 10 voltas e depois se retirou da pista. 

Jenson Button, da McLaren, foi o quarto colocado, e o seu companheiro de equipe, o dinamarquês Kevin Magnussen, terminou em quinto. 

Mesmo após um pit stop atrapalhado, o piloto da Ferrari Fernando Alonso foi o sexto, ao passo que Daniel Ricciardo e o tetracampeão Sebastian Vettel, ambos da Red Bull, terminaram na sétima e na oitava colocação respectivamente. 

Kimi Raikkonen, da Ferrari, foi o nono, e o Sergio Perez, da Force India, o 10º. 

Por Alan Baldwin

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below