Dunga se preocupa com possíveis lesões por gramado ruim em Cingapura

segunda-feira, 13 de outubro de 2014 10:36 BRT
 

Por Patrick Johnston

CINGAPURA (Reuters) - O mau estado de conservação do gramado aumenta o risco de lesões, e as falhas no campo vão dificultar os passes, disse o técnico Dunga nesta segunda-feira, véspera do amistoso da seleção brasileira contra o Japão em Cingapura.

O campo do Estádio Nacional, parte central no complexo esportivo de Cingapura construído ao custo de 1 bilhão de dólares, tem sido fortemente criticado, enquanto equipes se esforçam na recuperação do gramado apesar do clima tropical e do uso frequente para shows e eventos esportivos variados.

O Brasil treinou no gramado remendado pela primeira vez nesta segunda, e os jogadores sofreram para correr e passar a bola diante dos vários buracos tapados com areia.

A exemplo do clube italiano Juventus, que ao jogar um amistoso no campo de Cingapura em agosto preferiu poupar seus jogadores mais destacados, Dunga também se mostrou cauteloso com o elenco brasileiro, num gramado que a própria Associação de Futebol de Cingapura disse estar "muito aquém dos padrões internacionais esperados".

"O time do Brasil vai sempre tentar produzir um bom espetáculo, mas para isso é preciso ter boas condições", disse Dunga a jornalistas nesta segunda-feira.

"O campo... provoca a possibilidade de lesão nos jogadores, porque há muita areia, e eu espero que a areia não crie buracos no campo durante a partida, mas é um risco que vamos ter que correr", acrescentou.

"A maior parte do campo é areia e não grama, e é uma mistura de grama sintética com natural, mas tem mais sintética do que natural. Vai ser difícil passar a bola nessas condições."

  Continuação...

 
Atacante Neymar em treino da seleção brasileira no Estádio Nacional de Cingapura. 13/10/2014 REUTERS/Edgar Su