Nadadora australiana estabelece novo recorde de distância

quarta-feira, 22 de outubro de 2014 12:42 BRST
 

MIAMI (Reuters) - A nadadora de longa distância australiana Chloe McCardel se tornou a primeira pessoa a nadar quase 129 quilômetros em águas abertas e sem assistência nesta quarta-feira, durante uma travessia de 42,5 horas da ilha Eleutera, nas Bahamas, a Nassau, de acordo com sua equipe de apoio.

Caso isso seja confirmado, McCardel, de 29 anos, terá completado “a mais longa maratona de nado solo em águas abertas contínua e sem assistência da história”, declarou sua equipe em um comunicado, acrescentando que a travessia respeitou os regulamentos internacionais determinados pela Federação de Nadadores de Maratona.

Sem usar nada além de um maiô comum, uma touca e óculos, McCardel foi saudada por seus apoiadores em Nassau, além de seu marido e equipe de apoio.

“Sei que ela vai levar algum tempo para se recuperar deste feito enorme, para o qual se preparou durante toda sua carreira na natação. Ela está nas alturas por estabelecer este recorde desta maneira, e tem muito, muito orgulho de ser australiana”, afirmou seu marido, Paul McQueeney, em uma declaração.

McCardel já realizou sete travessias solo do Canal da Mancha, incluindo duas travessias duplas sem paradas.

Em junho deste ano, McCardel foi forçada a desistir de uma tentativa de se tornar a primeira pessoa a nadar de Cuba à Flórida sem uma gaiola antitubarões ao se chocar com um cardume de medusas, que podem picar e cuja peçonha em alguns casos é venenosa.

McCardel foi retirada da água depois de nadar 11 horas da maratona de cerca de 164 quilômetros. Alguns meses depois, a nadadora de longa distância norte-americana Diana Nyad, de 64 anos, completou a prova em 53 horas, mas equipada com uma máscara de silicone e uma vestimenta, além de ter sido acompanhada por uma equipe que levava um dispositivo eletrônico que emitia uma corrente para espantar tubarões.

(Por David Adams)

 
Nadadora australiana de longa distância Chloe McCardel, em foto de arquivo. 12/06/2013 REUTERS/Desmond Boylan