Regras de conduta na seleção são importantes para "boa convivência", diz Dunga

quinta-feira, 23 de outubro de 2014 14:54 BRST
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A comissão técnica do Brasil impôs algumas regras aos jogadores, como evitar chinelos na concentração e o uso excessivo de bonés de patrocinadores, que visam, segundo o técnico Dunga, a "boa convivência".

Os comandantes da seleção brasileira confirmaram nesta quinta-feira a existência de um código de conduta, que internamente é chamado de regulamento interno. Dunga e o coordenador Gilmar Rinaldi revelaram que os cerca de 15 itens da 'cartilha' foram apresentados e conversados com os jogadores.

“Isso é importante para a boa convivência. Tem que ter um só pensamento: a seleção“, disse Dunga a jornalistas após anunciar a lista de convocados para amistosos do Brasil em novembro.

“Como qualquer empresa, tem algumas regras; como sua empresa; como na nossa família; como vivemos com pessoas."

O enquadramento dos jogadores imposto por Dunga ocorre após a decepção do Brasil na Copa do Mundo deste ano, quando era comum ver os jogadores mais à vontade, sem o uniforme completo e com objetos de patrocinadores pessoais.

“A CBF é uma empresa e precisa ter suas regras como tem todo lugar”, afirmou o coordenador Rinaldi.

“Quando chegamos aqui já havia um regulamento interno e não diria que é uma cartilha. Algumas coisas são importantes para uma Copa do Mundo, torneio ou amistoso. A gente quis deixar bem claro que é mais ou menos o clamor que havia quando éramos torcedores e estávamos do outro lado”, completou ele.

Rinaldi e Dunga disseram que as regras tiveram boa aceitação dentro do grupo de jogadores e garantiram que o não cumprimento delas não acarretará em penalização dos infratores.

“Não tem penalidade; não estamos para penalizar, mas para organizar uma grande empresa”, disse Rinaldi.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)

 
Dunga conversa com o coordenador Rinaldi durante entrevista no Rio de Janeiro em 22 de julho.   REUTERS/Ricardo Moraes