Jogos do Rio estão bem encaminhados mas sem margem para atrasos, diz presidente da APO

terça-feira, 11 de novembro de 2014 21:24 BRST
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A preparação do Rio de Janeiro para os Jogos Olímpicos de 2016 está bem encaminhada, mas sem margem para atrasos, segundo o presidente da Autoridade Pública Olímpica (APO), general Fernando Azevedo e Silva, que aponta o avanço na "governança" como principal desafio para 2015 na organização do evento.

A menos de dois anos para os Jogos, o general demonstrou otimismo, sem deixar de lembrar que não há brecha no calendário para novos atrasos. Segundo ele, o cronograma de obras tem que ser seguido à risca até 2016.

“Gordura não tem... o coração dos Jogos está encaminhado, com solução, não tem problema de obra, mas gordura não tem. Está andando muito rápido”, disse ele a jornalistas nesta terça-feira.

Uma das maiores preocupações das autoridades brasileiras e do próprio Comitê Olímpico Internacional (COI) até pouco tempo era o complexo esportivo de Deodoro, onde serão disputadas várias modalidades e que agora tem obras em andamento.

“Cada dia está diferente em Deodoro... está andando muito bem. Faltava deslanchar isso aí e agora está”, afirmou ele.

De acordo com o general, que está prestes a completar um ano no cargo, a partir de agora, passadas a Copa do Mundo e as eleições presidenciais, os olhos do Brasil estão voltados para os Jogos.

“Não há tempo para perder... é hora de ver o que deu certo e o que pode ajustar melhor ainda. Nosso desafio na APO é afinar a governança”, afirmou. “2015 será a reta final e 2016 começa a operação dos Jogos, por isso é muito importante ajustar a governança para dar rapidez às decisões”, acrescentou ele.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)