Jogadores acham que nova seleção brasileira "encaixou"

sábado, 15 de novembro de 2014 16:18 BRST
 

(Reuters) - Depois de vencer todos os jogos amistosos após a decepção no Mundial deste ano, e marcar 12 gols e não levar nenhum, os jogadores da seleção brasileira acreditam que a equipe "encaixou" e deu “liga” sob o comando do técnico Dunga.

O último desafio do ano será a seleção da Áustria, em Viena, na próxima terça-feira. A seleção europeia vive um bom momento e pode ser uma ameaça para a invencibilidade do Brasil no pós-Copa.

De lá para cá, o Brasil de Dunga venceu Argentina, Colômbia, Equador e ainda goleou Japão e Turquia.

“Pelos resultados, pela maneira de jogar, como todos têm se doado acho que dá para dizer que a seleção já deu liga com Dunga”, disse o volante Fernandinho, do Manchester City, da Inglaterra.

O jogador, que fez parte do fracasso na Copa do Mundo, anunciou que pretende encerrar a carreira em cinco ou seis anos, mas espera ainda disputar o mundial da Rússia em 2018 e finalizar a vida como jogador de futebol em um clube no Brasil.

Ele atribui o sucesso do Brasil e a “liga” dos jogadores a forma mais “européia” de atuar da seleção.

“Somos um time competitivo, compacto e combatente”, avaliou ele. “Está muito parecido com o que fazemos diariamente na Europa; espaço reduzido, jogo rápido e decisão em fração de segundos... isso está sendo legal para gente.”

Outro motivo para o “encaixe” da seleção, segundo o meia Oscar, que também atua na Inglaterra (Chelsea),, foi a manutenção da base da equipe na era Dunga.

Basicamente, jogadores como Miranda, David Luiz, Filipe Luís, Luiz Gustavo, William, Oscar e Neymar têm formado nos cinco jogos a espinha dorsal da equipe de Dunga,

“Repetir um time e uma base no começo e reformulação é importante e vem dando certo. Tomara que ele continue repetindo”, declarou o meia, que também esteve na Copa.