17 de Novembro de 2014 / às 19:33 / em 3 anos

Chefes de ética da Fifa vão se reunir na 5a-feira após polêmica sobre Copas de 2018 e 2022

Michael Garcia e Hans-Joachim Eckert, em foto de arquivo na sede da Fifa, em Zurique. 27/07/2012Michael Buholzer

ZURIQUE (Reuters) - O juiz de ética da Fifa, Hans-Joachim Eckert, vai se reunir com o investigador Michael Garcia na quinta-feira para discutir suas diferenças sobre o controverso processo de votação para as Copas do Mundo de 2018 e 2022.

Uma fonte próxima à investigação confirmou à Reuters que a reunião vai ocorrer na quinta-feira e disse que o local ainda não tinha sido decidido.

A Fifa foi alvo de polêmica na quinta-feira, quando Eckert, chefe da câmara decisória do Comitê de Ética, disse não encontrar motivos para reabrir o processo que concedeu a realização da Copa do Mundo de 2018 à Rússia e a de 2022 ao Catar.

Mas três horas depois, o ex-promotor dos EUA Garcia, que passou 18 meses investigando alegações de corrupção durante o processo, publicou seu próprio comunicado dizendo que o documento da Fifa contém “diversas representações dos fatos materialmente incompletas e equivocadas” sobre seu relatório de 430 páginas, acrescentando que irá recorrer da decisão.

Inglaterra, Espanha/Portugal e Bélgica/Holanda também foram candidatas ao torneio de 2018, enquanto Japão, Estados Unidos, Coreia do Sul e Austrália se candidataram à Copa de 2022.

Reportagem de Brian Homewood em Viena

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below