Brasil bate Áustria por 2 x 1 e se mantém 100% sob comando de Dunga

terça-feira, 18 de novembro de 2014 18:11 BRST
 

VIENA (Reuters) - A seleção brasileira contou com um gol de cabeça de David Luiz e um chute de Roberto Firmino para derrotar a Áustria por 2 x 1 nesta terça-feira, em Viena, e manter 100 por cento de aproveitamento na segunda passagem de Dunga pela equipe após seis jogos.

Ao contrário das últimas cinco partidas, desta vez o Brasil sofreu com a marcação adversária e foi pouco inspirado no ataque. Mas, com gols no segundo tempo, garantiu a vitória.

"Estou muito feliz de ter entrado, é um sonho estar aqui, e com um gol foi melhor ainda", disse Firmino, de 23 anos, que joga no alemão Hoffenheim. Ele começou sua carreira no CRB, de Alagoas, e se destacou no Figueirense, sendo negociado no fim de 2010.

Os brasileiros não começaram bem o amistoso, e a Áustria teve sua primeira chance logo aos 6 minutos, quando o atacante Okotie completou cruzamento com as mãos, e o gol foi corretamente anulado.

O Brasil tinha dificuldades na criação de jogadas e o time austríaco era mais perigoso. Aos 26 minutos, o mesmo Okotie acertou a trave em cabeceio, mas ele estava impedido.

Logo depois, o técnico Dunga foi obrigado a fazer sua primeira substituição: o zagueiro Thiago Silva entrou no lugar de Miranda, que deixou o campo machucado.

O ex-capitão do Brasil Thiago Silva gerou polêmica no domingo ao dizer que estava infeliz com a reserva e com o fato de ter perdido a braçadeira para Neymar. O zagueiro conversou um dia depois com o atacante e o treinador, que rebateu dizendo que "ninguém é dono de nada" na seleção.

Com dificuldades em campo, os brasileiros deram o primeiro chute a gol apenas aos 33 minutos, com Oscar, que chutou de fora da área, mas o goleiro Almer defendeu com facilidade. David Luiz ainda cobrou uma falta por cima do travessão.

"A gente tem que tocar a bola mais rápido para ter chances", disse Oscar após o primeiro tempo.   Continuação...

 
Firmino comemora gol do Brasil sobre a Áustria em Viena nesta terça-feira.   REUTERS/Leonhard Foeger