23 de Novembro de 2014 / às 19:18 / 3 anos atrás

Hamilton e Rosberg cumprimentam-se depois de temporada épica

ABU DHABI (Reuters) - Lewis Hamilton afirmou neste domingo que o companheiro de Mercedes, Nico Rosberg, é um “competidor fenomenal”, depois de o alemão estender a mão para cumprimentar o rival campeão da Fórmula 1.

“Talvez as coisas naturalmente fiquem mais tranquilas agora”, disse o britânico, bicampeão mundial, após a tentativa de Rosberg de atrapalhá-lo ter sido prejudicada por problemas no motor que deixaram o piloto alemão fora da zona de pontuação.

“Ele teve a classe de conversar comigo depois da corrida, o que eu gostei bastante. Foi realmente grande da parte dele fazer isso”.

Os dois se pressionaram a temporada inteira em uma campanha que lembrou as batalhas entre o brasileiro Ayrton Senna e o francês Alain Prost na McLaren. 

Amigos de infância desde os tempos de kart, os dois pilotos da Mercedes testaram seus relacionamentos até o ponto de ruptura. A dupla passou a mal conversar entre si quando ficou claro que um deles seria campeão.

Em Mônaco, Hamilton sugeriu que Rosberg deliberadamente o impediu de conseguir a pole position com um erro que causou bandeiras amarelas, e na Bélgica, em agosto, acusou o alemão de bater no seu carro de propósito. 

O presidente não-executivo da equipe Niki Lauda admitiu que não sabia se a parceria poderia continuar, mas as relações entre os dois foram descongeladas novamente.

“Foi tudo tão intenso entre nós o ano inteiro”, disse Hamilton. “Houve bons e maus momentos”.

“Sem dúvida, tínhamos uma amizade ou um relacionamento muito, muito, muito antigo, e isso sempre existirá”.

“Ele foi um adversário muito duro este ano, fez um trabalho excepcional. Ele será rápido por muito tempo. Qualquer um de nós poderia ter sido campeão”.

Lauda, que venceu Prost por meio ponto em 1984 quando os dois eram da McLaren, disse que ganhou o dia com o aperto de mãos pós-corrida entre Hamilton e Rosberg.

“Eu realmente fiquei emocionado quando vi no pódio que Nico foi cumprimentá-lo”, disse o austríaco tricampeão mundial.

“Nico foi um esportista, normal e sem emoções negativas e o cumprimentou. É assim que a vida é e estou feliz pelos dois porque Lewis também aceitou a mão de Nico”.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below