November 24, 2014 / 5:08 PM / 3 years ago

Niki Lauda acredita em outro duelo das Mercedes em 2015 na F1

3 Min, DE LEITURA

Ex-piloto de F1 Niki Lauda, atual presidente da equipe Mercedes, em foto de arquivo. 20/09/2014Tim Chong

ABU DHABI (Reuters) - Niki Lauda espera que Nico Rosberg se recupere logo do golpe de perder seu primeiro duelo por um título da Fórmula 1 para o companheiro de equipe na Mercedes, Lewis Hamilton, e volte ainda mais determinado no ano que vem.

“Nico irá reagir e Nico tem potencial para crescer”, afirmou Lauda, presidente não executivo da equipe, depois que problemas no motor do carro de Rosberg no Grande Prêmio de Abu Dhabi que encerrou a temporada, no domingo, acabaram com as esperanças do alemão, já não muito grandes, de desbancar Hamilton.

“Ainda há algo a se extrair da velocidade e do desempenho e das contribuições técnicas que ele dá. Por isso, o ano que vem vai ser emocionante de novo entre os dois. E espero que ninguém mais interfira”, acrescentou.

Rosberg terminou o ano com cinco vitórias diante das 11 de Hamilton, mas desafiou o britânico até o final da campanha, que em certo momento pareceu ter arruinado a amizade dos dois irreversivelmente.

Mas eles apertaram as mãos e se abraçaram depois da prova de domingo, e ambos dedicaram palavras elogiosas um ao outro.

“Lewis e Nico, de volta em volta, desde o começo da temporada, pressionaram um ao outro”, disse Lauda, ele mesmo um tricampeão da modalidade, a repórteres.

“O mais importante é que os dois pilotos desenvolveram o carro com seu estilo de pilotagem... tudo que fizemos foi absolutamente o mesmo para ambos, e por isso fomos tão velozes”.

Apesar da atitude esportiva exibida em Abu Dhabi, e dos sinais de que o relacionamento entre os pilotos entrou em uma nova fase, Lauda está certo de que as tensões permanecerão.

“Nunca gostei de (Alain) Prost, nunca gostei de (Clay) Regazzoni, nunca gostei de (John) Watson na hora de correr, então é normal”, comentou ele a respeito de seus ex-companheiros de equipe.

“Mas há um certo respeito mútuo”, acrescentou. “Será mais fácil no ano que vem, porque eles se respeitam no tocante ao desempenho”.

Lauda foi fundamental para persuadir Hamilton a deixar a McLaren no final de 2012, quando a Mercedes ainda era uma aposta um tanto arriscada e alguns especialistas insinuavam que o campeão de 2008 deveria ficar onde estava.

O austríaco afirma que isso o deixou especialmente orgulhoso.

“Dois anos e meio atrás eu lhe pedi que saísse da McLaren e viesse para a Mercedes”, lembrou. “Eu disse ‘vou garantir um campeonato mundial a você’. E no segundo ano pilotando conosco, aí está. Então estou feliz, porque não quebrei minha promessa”.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below