Rio 2016 nega atraso na venda de ingressos apesar de cadastramento ainda não ter começado

sexta-feira, 28 de novembro de 2014 14:46 BRST
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O presidente do Comitê 2016, Carlos Artur Nuzman, negou nesta sexta-feira que o cronograma para venda de ingressos dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro esteja atrasado, apesar de a fase de cadastramento dos interessados, prevista para ter início neste mês, ainda não ter sido aberta.

"Não houve nada, é uma programação", disse Nuzman a repórteres ao ser questionado sobre possível atraso na venda de ingressos dos Jogos.

De acordo com o cronograma divulgado em setembro pelo comitê organizador, a fase de cadastramento dos interessados em comprar entradas para os eventos esportivos estava prevista para começar em novembro. Entre março e maio de 2015, o torcedor fará seus pedidos, e o primeiro sorteio de ingressos será realizado em junho do mesmo ano.

Nuzman afirmou que a abertura das vendas está condicionada a uma sincronização ainda não alcançada entre o programa das federações esportivas, as negociações relacionadas à transmissão dos eventos pela TV e os horários em que os eventos serão realizados.

"A venda de ingressos é casada com horários de competições, programa das federações internacionais e com a conjunção que deve ter dos horários com as televisões do mundo inteiro. O comitê organizador recebe essas informações, e no momento que receber, fará isso imediatamente", disse Nuzman, em evento para o lançamento de moedas comemorativas dos Jogos Olímpicos confeccionadas pelo Banco Central.

O dirigente reiterou também que as obras do Complexo Olímpico de Deodoro, onde vão ocorrer provas de modalidades como hipismo e tiro, recuperaram o tempo perdido e agora se encontram adiantadas em relação ao previsto.

"Para os Jogos Olímpicos, as obras em Deodoro estão adiantadas. As obras estão dentro do cronograma, como tem sido colocado de uma maneira geral a todos", afirmou.

Em abril, o Comitê Olímpico Internacional (COI) chegou a criticar a falta de coordenação entre os governos e os organizadores dos Jogos, pois o início dos trabalhos em Deodoro encontrava-se atrasado. Em visita no mês passado, no entanto, uma comitiva do COI mudou de tom e passou a elogiar a ritmo dos trabalhos.

Outro questão que suscitava preocupações se referia ao Campo Olímpico de Golfe. O Ministério Público pediu à Justiça do Rio de Janeiro que interrompesse a construção do campo por causa de dúvidas em relação a questões ambientais. Na quinta-feira, o TJ-RJ decidiu por negar a suspensão.   Continuação...

 
Homem exibe moeda comemorativa dos Jogos Olímpicos de 2016. 28/11/2014 REUTERS/Sergio Moraes