4 de Dezembro de 2014 / às 19:44 / em 3 anos

Custo de estádios da Copa do Mundo subiu 50%, diz relatório do TCU

SÃO PAULO (Reuters) - Os 12 estádios usados na Copa do Mundo deste ano no Brasil custaram 50 por cento a mais do que o previsto e apenas seis dos 35 projetos de transporte público prometidos foram concluídos a tempo, de acordo com um relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) obtido pela Reuters, que ainda não foi publicado.

Vista geral do Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília, antes da decisão do terceiro lugar da Copa do Mundo entre Brasil e Holanda. 12/07/2014. REUTERS/Ruben Sprich

Doze arenas foram construídas ou reformadas a um custo de 8,44 bilhões de reais, disse o TCU em seu relatório mais completo sobre os gastos da Copa desde o final do torneio, em julho. A estimativa original de gastos, em 2010, era de 5,6 bilhões de reais.

Segundo o relatório, que deverá ser publicado até segunda-feira, a obra mais cara foi a remodelação do Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília, que custou 1,44 bilhão de reais, quase o dobro de sua estimativa inicial.

“Os estádios custaram muito mais do que deveriam”, disse o consultor de finanças e marketing Amir Somoggi. “Eles fizeram obras faraônicas e nós ficamos com os elefantes brancos.”

Com muitos estádios entregues em cima da hora e projetos de mobilidade urbana incompletos ou abandonados, havia o temor de que a Copa de 2014 fosse caótica. No entanto, o torneio foi considerado um sucesso, com alguns dos melhores jogos em muitos anos e sem problemas sérios fora de campo. A Alemanha venceu a Argentina por 1 x 0 na final no Maracanã.

O relatório de 130 páginas, porém, deixou claro que ainda havia muito trabalho a ser feito.

O governo prometeu 26 novos projetos de aeroportos, mas apenas 14 foram terminados a tempo, segundo o relatório. E apenas 6 dos 35 projetos de transporte público prometidos foram concluídos até o início do torneio.

“Eles disseram que a Copa do Mundo ajudaria o Brasil a dar um enorme salto em termos de transporte público, mas tudo que eles fizeram foram os estádios. A economia não está mais em uma grande fase, então não há garantia de que eles vão ser concluídos”, declarou Somoggi.

Autoridades do governo têm afirmado que vão terminar o que começaram, mas nenhum dos 29 projetos que estavam inacabados em junho foram concluídos desde então. Cinco dos 29 projetos inacabados não foram tocados e em vários outros quase não existe trabalho.

O relatório do TCU, no entanto, destacou alguns pontos da realização do Mundial no Brasil.

“Merece destaque, ainda, o fato de parcela expressiva dos projetos encontrarem-se em avançado estágio de desenvolvimento ao tempo do torneio desportivo, o que torna inexorável a sua completa execução”, disse o relatório.

“Sem dúvida alguma, a conclusão desses empreendimentos representará importante legado da Copa”, acrescentou.

O Brasil também vai sediar os próximos Jogos Olímpicos, no Rio de Janeiro, em 2016. A cidade garante que os preparativos estão dentro do cronograma, embora existam preocupações sobre os locais de vela e golfe.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below