Paraguai ganhou respeito e credibilidade na Copa América, diz técnico

domingo, 28 de junho de 2015 13:55 BRT
 

CONCEPCIÓN, Chile (Reuters) - A seleção paraguaia conquistou o respeito do mundo do futebol com o que tem feito até agora na Copa América, disse o técnico Ramona Díaz no sábado, após sua equipe derrotar o Brasil e garantir uma vaga nas semifinais. 

O Paraguai foi melhor ao longo dos 90 minutos diante de um Brasil acuado e apagado, e venceu a partida nos pênaltis. Derlis González foi crucial ao marcar um gol durante o tempo regulamentar e converter sua cobrança na disputa final. 

"Se não se ganha credibilidade assim, após jogar com Argentina, Uruguai e Brasil sem ser derrotado, como (se ganha)? Há que se ter muito respeito por esse time, por como tenta jogar, pela entrega que tem", disse Díaz em uma coletiva de imprensa. 

Agora, o Paraguai volta a enfrentar a Argentina, com quem empatou em 2 x 2 na fase de grupos. 

"Tentamos não ir até os pênaltis, mas sabíamos que tínhamos pela frente um time grande. Foi uma partida emocionante da parte dos dois. É uma grande satisfação por causa da partida que fizemos ... Conseguimos algo muito importante diante de um grande adversário", acrescentou o treinador.

Díaz se mostrou satisfeito pelo desempenho de sua equipe no segundo tempo de jogo, em que o Paraguai cresceu em campo e acuou o Brasil. 

"No tempo final tratamos de pressioná-los porque sabíamos que com nosso entusiasmo poderíamos marcar um gol. Eles fizeram o que podiam, foi uma partida intensa para ambas as equipes ... Acho que foi uma partida emocionante", disse Díaz.

Díaz elogiou o jovem González, atacante de 21 anos que tem sido umas das grandes revelações da competição é uma peça fundamental para o Paraguai. 

"González teve a chance de atuar com tranquilidade não somente uma vez, duas vezes", afirmou Díaz.

Mas o argentino disse que não terá muito tempo para comemorar, já que precisa planejar uma fórmula para deter nas semifinais aquela que voltou a classificar como "a melhor seleção do mundo".

"Já estamos pensando na Argentina", afirmou.