Hamilton fica eufórico após decisão certeira e vitória em Silverstone

domingo, 5 de julho de 2015 16:32 BRT
 

SILVERSTONE, Inglaterra (Reuters) - Lewis Hamilton comemorou bastante uma inesperada vitória no Grande Prêmio da Inglaterra de F1 neste domingo, embora fosse exatamente isso que o exército de torcedores do piloto da casa esperava em Silverstone.

"Eu acho que pela primeira vez em minha carreira eu fiz a escolha perfeita em termos de pneus", disse o bicampeão da Formula 1, depois de liderar a dobradinha da Mercedes com seu companheiro de time e rival na briga pelo título Nico Rosberg em segundo. "Então estou muito, muito feliz com isso."

O inglês começou na pole position, mas logo no começo foi ultrapassado pelo brasileiro Felipe Massa, que assumiu a ponta com sua Williams, seguido de perto pelo companheiro de time Valtteri Bottas.

"Eu soltei a embreagem e comecei a girar a roda sem ter tração. Olhei nos retrovisores para ver o que acontecia mas eu continuava girando sem aceleração", disse Hamilton. "(Eu pensei) Eu vou perder a liderança ao menos para alguém, e obviamente as Williams passaram por mim."

O safety car entrou na pista na primeira volta após a colisão entre os carros da Lotus e da McLaren, e aí Hamilton tentou ultrapassar o brasileiro Felipe Massa após o recomeço da corrida, mas tentou com tanta fome e com uma manobra aberta que Bottas aproveitou a deixa e o deixou para trás.

Hamilton então ficou à frente de Massa e Rosberg ao ir para os pit stops antes, mas a chuva se transformou em um problema a mais, com o resultado da prova agora dependendo das trocas para os pneus intermediários.

Uma troca feita com muita antecedência ou atraso poderia significar o fim da prova para um piloto, mas Hamilton mais uma vez tomou a decisão correta e quebrou o recorde do compatriota Jackie Stewart que já perdurava 45 anos: o de liderar 17 corridas consecutivas na Formula 1.

"É sempre mais traiçoeiro para o cara que está na liderança...e é questionável o tamanho do risco que você assume", disse Hamilton.

Se a prova deste domingo foi uma das mais traiçoeiras que ele teve em Silverstone, a recompensa foi colocar as mãos no troféu dourado do Royal Automobile Club que traz o nome de cada vencedor do GP britânico desde que o campeonato começou em 1950.