Boxeador Manny Pacquiao reza com filipina condenada à morte na Indonésia

sexta-feira, 10 de julho de 2015 11:16 BRT
 

YOGYAKARTA/JACARTA, Indonésia (Reuters) - O boxeador filipino Manny Pacquiao realizou nesta sexta-feira orações em uma prisão da Indonésia com uma prisioneira filipina condenada à morte por tráfico de drogas, na esperança de atrair atenção para o sofrimento dela e conseguir a comutação de sua pena.

Em abril, Mary Jane Veloso obteve uma suspensão temporária de sua execução iminente depois que as autoridades de Manila pediram ao presidente indonésio, Joko Widodo, que permitisse que ela fornecesse provas em uma investigação sobre a rede acusada de recrutá-la para transportar drogas.

Pacquiao, uma de muitas celebridades em campanha para salvar Mary Jane, rezou com ela na prisão de Yogyakarta, onde está detida enquanto testemunha contra um casal que supostamente a convenceu a levar 2,6 quilos de heroína para a Indonésia.

"Estamos torcendo para receber ajuda e salvar a vida de Mary Jane”, disse Pacquiao a repórteres após a visita. “De acordo com minhas informações, ela é inocente... e vítima do recrutamento ilegal”. Espera-se que Pacquiao se reúna com parlamentares indonésios em Jacarta para pedir clemência para Mary Jane.

Widodo adotou uma postura rígida no combate ao narcotráfico na maior economia do sudeste da Ásia e ignorou pedidos de clemência de governos estrangeiros para seus cidadãos – como no caso dos brasileiros Rodrigo Gularte e Marco Archer, ambos executados este ano.

A Indonésia já executou 14 traficantes de drogas, a maioria estrangeiros, em 2015, pondo fim a uma moratória de cinco anos à pena de morte.

(Por Yopi Kurniawan, em Yogyakarta, e Klara Virencia, em Jacarta)

 
Filipina Mary Jane Veloso ao lado do boxeador do país Manny Pacquiao e sua mulher,  Jinkee Pacquiao. 10/07/2015 REUTERS/Ignatius Eswe