Empresário argentino Burzaco declara inocência nos EUA em caso Fifa

sexta-feira, 31 de julho de 2015 17:59 BRT
 

Por Nate Raymond e Mica Rosenberg

NOVA YORK (Reuters) - O ex-presidente de uma empresa de marketing esportivo sediada na Argentina, um dos 14 indiciados em um caso de corrupção na Fifa, se declarou inocente em um tribunal dos Estados Unidos nesta sexta-feira.

Alejandro Burzaco, empresário argentino que foi ex-diretor geral e presidente da Torneos y Competencias SA, compareceu a um tribunal federal no Brooklyn, em Nova York, depois de ser extraditado para os Estados Unidos a partir da Itália.

De acordo com um indiciamento aberto em 27 de maio, Burzaco enfrenta acusações nos EUA, incluindo conspiração para extorsão e conspiração para cometer fraude eletrônica. Ele se entregou à polícia no norte da Itália em 9 de junho e é o terceiro réu a se apresentar ao tribunal.

Burzaco, de 51 anos, é um dos nove dirigentes de futebol e cinco executivos de marketing acusados pelo Departamento de Justiça dos EUA de explorar o esporte para ganho próprio através de subornos de mais de 150 milhões de dólares ao longo de 24 anos.

A juíza dos EUA Vera Scanlon definiu a fiança de Burzaco em 20 milhões de dólares e autorizou a sua libertação sujeita a restrições de viagem e monitoramento eletrônico.

Advogados de Burzaco não quiseram comentar.

Os promotores disseram que Burzaco conspirou com outros executivos de marketing para canalizar 110 milhões de dólares em subornos a dirigentes de futebol para obter os direitos exclusivos para um torneio que comemora o 100º aniversário da Copa América, programado para junho de 2016.

(Reportagem adicional de David Ingram, em Nova York)