4 de Agosto de 2015 / às 21:27 / 2 anos atrás

Saiba mais sobre o Rio de Janeiro a um ano da Olimpíada

Vista aérea da construção do Parque Olímpico para Jogos do Rio. 29/7/2015. REUTERS/Ricardo Moraes

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A um ano da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos, que ocorrerá em 5 de agosto de 2016, o Rio de Janeiro acelera os preparativos para receber a primeira edição dos Jogos na América do Sul. Veja abaixo dados e informações sobre a preparação da cidade.

   

    CUSTOS  

    O orçamento dos Jogos Olímpicos é de 38,2 bilhões de reais até o momento, sendo 24,6 bilhões em projetos de infraestrutura na cidade do Rio, 6,6 bilhões de reais para obras voltadas exclusivamente para os Jogos Olímpicos e 7 bilhões de reais de orçamento do comitê organizador Rio 2016, entidade totalmente privada.

   

    PARQUE OLÍMPICO

Principal palco dos Jogos, o local receberá 16 competições olímpicas: basquete, judô, taekwondo, luta-livre, luta greco-romana, handebol, tênis, ciclismo (pista), pólo aquático, natação, nado sincronizado, ginástica artística, ginástica rítmica, ginástica de trampolim, esgrima e saltos ornamentais.

    Após o evento, abrigará um centro de treinamento para atletas do país e também será destinado à população, com áreas abertas ao público. A Arena do Futuro, onde serão disputadas as competições de handebol, será transformada em quatro escolas municipais.

    O Parque Aquático Maria Lenk e a Arena HSBC já estão prontos, pois foram construídos para os Jogos Pan-Americanos Rio-2007.

A conclusão do Parque Olímpico está prevista para o primeiro trimestre de 2016, com custo de 2,24 bilhões de reais.

   

    COMPLEXO DE DEODORO

O local, conhecido como Parque Radical e localizado na divisa das zonas norte e oeste, receberá 11 modalidades olímpicas: hipismo (salto, adestramento e Concurso Completo de Equitação - CCE), ciclismo (BMX e Mountain Bike), pentatlo moderno, tiro esportivo, canoagem slalom, hóquei sobre grama, rúgbi e basquete.

    Após os Jogos, se tornará o segundo maior parque público da cidade, para uso de moradores de bairros de uma das regiões mais pobres da cidade. Também será usado para o treinamento de atletas de alto rendimento, em uma região de grande concentração de população jovem.

    Usado nos Jogos Pan-Americanos em 2007 e Jogos Mundiais Militares de 2011, já tem 60 por cento das instalações prontas e vai custar 846,3 milhões de reais de recursos do governo federal, com execução das obras sob responsabilidade da prefeitura.

   

    ESTÁDIO OLÍMPICO

Palco das provas de atletismo, o chamado Engenhão foi construído para os Jogos Pan-Americanos e terá capacidade ampliada de 45 mil para 60 mil espectadores. Após a descoberta em 2013 de problemas estruturais na cobertura, o estádio ficou fechado por quase dois anos para reparos. O entorno do estádio também está sendo reformado, com obras orçadas em 115,7 milhões de reais.

   

    MARACANÃ

Dividido em Maracanã e Maracanãzinho, o complexo esportivo receberá os jogos de futebol e vôlei. O estádio de futebol, que também será palco das cerimônias de abertura e encerramento da Olimpíada, já foi reformado ao custo de 1,3 bilhão de reais para a Copa do Mundo de 2014. A arena menor também foi reformada, para os Jogos Pan-Americanos, mas precisará de duas novas quadras de aquecimento.

    O Complexo do Maracanã também receberia provas de pólo aquático no Parque Aquático Julio DeLamare, mas um impasse sobre o custo de 60 milhões de reais em reformas necessárias no local obrigou os organizadores a buscarem um novo local para a modalidade.

   

    VILA OLÍMPICA

O local de alojamento de atletas é composto por sete condomínios com 31 prédios, no total de 3.604 apartamentos e capacidade de hospedagem para 18 mil atletas e oficiais. É uma das obras mais avançadas, com cerca de 85 por cento já finalizada. Com estimativa de custo de 2,9 bilhões em investimento privado, a previsão de conclusão das obras é para o primeiro trimestre de 2016. Após os Jogos, os apartamentos serão colocados à venda.

       

    METRÔ

A nova linha levará o metrô à Barra da Tijuca, principal local das competições. Com previsão de inauguração para o primeiro semestre de 2016, a meta é transitar entre Barra e Ipanema em 15 minutos, em 16 quilômetros de extensão.

    

    ÔNIBUS

Estão em construção duas vias expressas de pistas exclusivas para os ônibus de tráfego rápido (BRT). Os projetos devem diminuir o tempo de locomoção entre diferentes regiões da cidade de duas horas e meia para 30 minutos.

    

    SEGURANÇA

A Olimpíada do Rio vai contar com um plano de segurança com mais que o dobro do número de agentes empregados nos Jogos de Londres em 2012 e incluirá um novo centro de enfrentamento ao terrorismo, mas sem planos de ocupação de favelas. O esquema terá cerca de 75 mil homens, divididos entre agentes públicos, responsáveis pela proteção fora dos locais de competição, e agentes privados de segurança, que cuidarão das arenas e áreas de treinamento.

   

    POLUIÇÃO

Palco das competições de iatismo, a Baía de Guanabara não teve a meta de 80 por cento de despoluição cumprida, apesar das promessas por parte de autoridades da cidade para a candidatura aos Jogos Olímpicos. A limpeza para os Jogos acontece com medidas paliativas para o problema, com o uso de barcos de retirada de lixo do superfície e a colocação de barreiras nas raias olímpicas.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below