ENTREVISTA-Rio muda foco e busca melhorar operação da cidade para Jogos

quinta-feira, 6 de agosto de 2015 19:04 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Após sofrer fortes cobranças da Fifa e de manifestantes antes da Copa do Mundo, o governo federal está mais aliviado com a preparação para a Olimpíada do Rio de Janeiro e, a um ano do evento, muda o foco para a parte operacional da cidade, que pode melhorar, segundo o secretário executivo do Ministério do Esporte, Ricardo Leyser.

"Estamos mudando o olhar que era o da entrega dos equipamentos esportivos e da infraestrutura e vamos desviar a atenção para a operação", disse ele em entrevista à Reuters.

"Temos que operar aeroportos, portos, rodovias, segurança pública e até a vigilância sanitária animal com qualidade. Nossos órgãos públicos e empresas públicas podem dar um salto de melhora", acrescentou Leyser.

De acordo com dados da prefeitura do Rio, não há nenhum equipamento olímpico com menos de 60 por cento das obras executadas a um ano da abertura dos Jogos, em 5 de agosto de 2016. O Parque Olímpico, que vai abrigar 16 modalidades, tem mais de 80 por cento das obras prontas.

A preparação olímpica está sendo menos turbulenta em relação ao que ocorreu no Mundial do ano passado, marcado por atrasos, estouros no orçamento e protestos.

"A um ano dos Jogos as coisas estão mais claras para nós. Temos o bom resultado no Pan (Brasil ficou em terceiro). As obras estão bem encaminhadas. É claro que houve dúvidas no começo do percurso, mas quando se chega mais perto, fica mais confortável e visível que as coisas vão acontecer bem", disse o secretário.

Nos últimos dias, o Rio de Janeiro começou a respirar o clima olímpico ao sediar competições de vôlei, triatlo, remo e hipismo, que servem de teste para 2016.

  Continuação...

 
Aros olímpicos são vistos no Parque Madureira, no Rio de Janeiro.  29/7/2015. REUTERS/Ricardo Moraes