Ex-jogador de Trinidad e Tobago vai concorrer à presidência da Fifa

quarta-feira, 12 de agosto de 2015 16:37 BRT
 

Por Simon Evans

ZURIQUE (Reuters) - O ex-meio-campista de Trinidad e Tobago David Nakhid é a figura mais recente a declarar que vai participar da eleição de fevereiro de 2016 que irá substituir Joseph Blatter como presidente da Fifa.

Nakhid, que dirige uma academia de futebol no Líbano, voltou ao Caribe para buscar apoio das autoridades locais. Para ser candidato, o ex-jogador de 51 anos precisa do endosso de cinco associações nacionais – exigência que manteve outros fora do páreo em eleições anteriores.

“Coloquei meu nome no bolo, e estamos ansiosos pelo desafio”, disse ele à Reuters nesta quarta-feira, acrescentando estar “otimista” com as cinco indicações.

Nakhid contou ter se reunido em Antígua com Gordon Derrick, presidente do Sindicato Caribenho de Futebol (CFU, na sigla em inglês), e que foi convidado a falar ao comitê executivo da entidade no sábado. Derrick confirmou à Reuters que Nakhid terá uma audiência.

A CFU tem 25 dos 35 votos da Confederação de Futebol da América do Norte, Central e Caribe (Concacaf, na sigla em inglês).

“O foco da Fifa deve ser o desenvolvimento acompanhado da devida supervisão”, afirmou Nakhid, que foi um grande crítico de Jack Warner, ex-vice-presidente da Fifa e ex-presidente da Concacaf e também natural de Trinidad e Tobago.

Até agora o presidente da Uefa, Michel Platini, o ex-vice-presidente da Fifa Chung Mong-joon, da Coreia do Sul, o ex-jogador brasileiro Zico e o presidente da Federação de Futebol da Libéria, Musa Bility, declararam que irão concorrer na eleição.