Ministro do TCU vê preparação da Olimpíada melhor que Copa e dá nota 7 ao Rio

sexta-feira, 14 de agosto de 2015 21:01 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) responsável por fiscalizar os gastos envolvidos na preparação da cidade do Rio de Janeiro para a Olimpíada de 2016, Augusto Nardes, visitou nesta sexta-feira instalações que estão sendo erguidas para o evento e afirmou que a preparação para os Jogos está muito melhor do que a da Copa do Mundo de 2014.

“Por enquanto o Rio merece uma nota 7 e esperamos chegar 9 ou 10. Vai depender de tudo que foi prometido ser cumprido e das medalhas que o Brasil vai conquistar. Está bem mais organizado que na Copa e não se vê atrasos”, disse Nardes.

O ministro esteve no Parque Olímpico, coração dos Jogos na Barra da Tijuca e onde serão disputadas provas como tênis, handebol, ciclismo, basquete e outros, e ainda visitou o complexo esportivo de Deodoro.

O último levantamento da prefeitura, divulgado na quinta-feira, aponta que de 16 novas instalações que estão sendo construídas para os Jogos do Rio, 13 já igualaram ou ultrapassaram 80 por cento de execução das obras.

O ministro manifestou preocupação com a viabilização de geradores de energia para instalações olímpicas, mas disse que obteve a garantia do ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, de que tudo será resolvido a tempo.

Nardes lembrou que juntas, Copa do Mundo e Olimpíada, devem consumir perto de 70 bilhões de reais. Ele espera que os dois eventos possam alavancar o turismo no país e melhorar a participação do Brasil em competições internacionais.

“Não adianta só fazer festa e não faturar. Temos que prosperar no turismo e no desempenho esportivo. Pegamos poucas medalhas nas últimas duas Olimpíadas. Temos que avançar mais e difundir a cultura do esporte”, disse.

“Temos que melhorar a estrutura de nossa confederações; avançar na governança ... acho que é salutar um rodízio no comando das confederações e federações”, finalizou ele.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)

 
Trabalhadores em local de construção da instalação de handebol para Jogos do Rio. 5/8/2015.  REUTERS/Sergio Moraes