Suíça aprova extradição de dirigente venezuelano Esquivel para EUA por investigação da Fifa

quarta-feira, 23 de setembro de 2015 12:11 BRT
 

ZURIQUE (Reuters) - Autoridades da Suíça aprovaram a extradição do dirigente de futebol venezuelano Rafael Esquivel para os Estados Unidos como parte da investigação sobre corrupção no futebol, informou o governo suíço nesta quarta-feira.

O ex-presidente da Federação Venezuelana de Futebol e membro do comitê executivo da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) foi preso em Zurique em maio juntamente com seis outros dirigentes da Fifa, incluindo o ex-presidente da CBF José Maria Marin.

Ele tem 30 dias para apelar da decisão da Justiça Federal da Suíça) que autoriza a extradição.

O indiciamento da Justiça norte-americana acusa Esquivel de receber propinas de milhões de dólares em conexão com a venda de direitos de marketing para as edições de 2007, 2015, 2016, 2019 e 2023 da Copa América.

Dos sete dirigentes presos em maio, o ex-vice-presidente da Fifa Jeffrey Webb concordou em julho em ser extraditado a Nova York. Ele se declarou inocente e foi solto sob fiança.

Na semana passada, a Suíça assentiu em enviar o cidadão uruguaio Eugenio Figueredo aos EUA para ajudar no inquérito. Figueredo comunicou que irá apelar da decisão, segundo uma porta-voz do escritório federal.

(Por Michael Shields)

 
Rafael Esquivel, que teve extradição aos EUA aprovada pela Justiça suíça nesta quarta-feira.  REUTERS/Jorge Silva