Platini não é mais o favorito entre apostadores para suceder Blatter na Fifa

domingo, 27 de setembro de 2015 15:47 BRT
 

(Reuters) - O dirigente máximo do futebol europeu Michel Platini não é mais o favorito entre apostadores para suceder Sepp Blatter no comando da Fifa, isso depois que promotores suíços afirmaram estar investigando Blatter a respeito de um pagamento feito a Platini.

    Platini, ex-meio-campista da seleção da França e presidente desde 2007 da Uefa, órgão que gerencia o futebol na Europa, vinha sendo o mais cotado nas apostas para suceder Blatter na eleição que nomeará o novo presidente da entidade daqui a cinco meses.

    No entanto, a casa de apostas inglesa William Hill afirmou que as probabilidades de Platini vencer o pleito caíram de 1/3 para 11/10. Agora, em vez de ter três vezes a probabilidade de se tornar o presidente da Fifa, ele está mais cotado para não vencer a eleição.

    "Ele não é mais o favorito", disse o porta-voz da William Hill Joe Crilly.

    Platini conta com o apoio maciço de uma série de associações nacionais de futebol, especialmente na Europa. No entanto, se ele passar a ser alvo da investigação do comitê de ética da Fifa, poderá ser suspenso e impedido de concorrer.

A Fifa se viu em mais um grave problema nesta sexta-feira, com o escritório da procuradoria-geral da Suíça (OAG) abrindo procedimento criminal contra Blatter, que prestou depoimento na sede da Fifa, sob suspeita de má gestão criminosa.

A OAG afirmou que Blatter, à frente da Fifa desde 1998, é suspeito de executar um "pagamento desleal" de 2 milhões de francos suíços (ou 2,04 milhões de dólares) a Platini em 2011.

Platini também teve de depor como testemunha. A Uefa afirmou que trata-se de um pagamento que Platini recebeu por serviços prestados a Fifa e discriminados em contrato, entre 1999 e 2001.

Diversos veículos de imprensa especularam que a Fifa poderia lançar uma investigação específica sobre Platini, Blatter ou ambos, possivelmente levando a uma suspensão provisória que coincidiria com a eleição para o novo presidente da entidade máxima do futebol mundial.   Continuação...