Blatter diz à revista que investigação suíça é "ultrajante"

quarta-feira, 7 de outubro de 2015 11:24 BRT
 

FRANKFURT (Reuters) - O presidente da Fifa, Joseph Blatter, disse que a investigação criminal da Suíça contra ele “não é correta” e defendeu a decisão de não entregar mais cedo seu cargo de comando da entidade que controla o futebol mundial, de acordo com uma revista alemã.

O suíço Blatter, que está sendo investigado pelas autoridades da Suíça, está na presidência da Fifa desde 1998, e desde 1981 já atuava como secretário-geral, o segundo cargo mais importante da organização.

“A situação não é agradável”, disse Blatter em entrevista ao semanário Bunte. “Estou sendo condenado sem que haja qualquer indício de malfeito de minha parte. Isso é realmente ultrajante”.

Em junho, quatro dias após conquistar seu quinto mandato, Blatter chocou o mundo do futebol dizendo que iria renunciar em função das investigações de corrupção das autoridades suíças e norte-americanas. Ele continua no posto até a eleição presidencial, marcada para fevereiro.

Na entrevista à revista Bunte, ele reiterou não ter planos de renunciar de imediato, apesar de grandes patrocinadores terem feito esse pedido na semana passada.

“Isto é só uma investigação, não um indiciamento”, afirmou ele à Bunte. “Irei lutar até o dia 26 de fevereiro. Por mim mesmo. Pela Fifa. Estou convencido de que o mal virá a luz e o bem irá prevalecer”.

(Por Maria Sheahan)

 
Presidente da Fifa, Joseph Blatter, durante evento na Suíça.  22/08/2015  REUTERS/Denis Balibouse