Platini defende pagamento de US$2 milhões da Fifa e diz a jornal ter cobrado pouco

segunda-feira, 19 de outubro de 2015 12:24 BRST
 

PARIS (Reuters) - Michel Platini disse que os 2 milhões de francos suíços (2,1 milhões de dólares) que recebeu da Fifa, um pagamento que ofuscou sua candidatura à presidência da entidade responsável pelo futebol mundial, foi uma recompensa legítima por um trabalho genuíno.

Em entrevista ao jornal francês Le Monde publicada nesta segunda-feira, o presidente da Uefa afirmou que o dinheiro foi pago por um trabalho que fez para o presidente da Fifa, Joseph Blatter, entre 1998 e 2002.

A maior parte do pagamento, que está sendo investigado pelas autoridades suíças, só foi feita em 2011. Blatter e Platini negam qualquer irregularidade no caso.

Platini forneceu um relato detalhado de como o trabalho de assessoria e os pagamentos relacionados a ele foram acertados com Blatter, dizendo ao jornal que jamais foi bom com finanças e que até se desvalorizou no caso em questão.

O ex-jogador afirmou ter pedido um milhão de francos suíços pela tarefa, que incluiu a reforma do calendário de competições internacionais da modalidade, trabalho sobre subsídios para as federações mais pobres, financiamento para projetos de futebol e muitas viagens com Blatter.

Não uso advogados ou agentes de negociação há séculos”, disse o ex-jogador da seleção francesa ao Le Monde. “Foi uma coisa de homem a homem”.

Em 8 de outubro, Blatter e Platini foram suspensos por 90 dias depois que a Procuradoria-Geral da Suíça iniciou procedimentos criminais contra Blatter por causa do pagamento a Platini.

(Por Brian Love)

 
Presidente da Uefa, Michel Platini, durante evento em Monte Carlo.  28/08/2015   REUTERS/Eric Gaillard