Blatter planejava Copas de 2018 e 2022 para Rússia e EUA

quarta-feira, 28 de outubro de 2015 20:56 BRST
 

MOSCOU (Reuters) - O presidente da Fifa, Joseph Blatter, planejava que a Rússia e os Estados Unidos sediassem as Copas do Mundo de 2018 e 2022 e culpou o presidente da Uefa, Michel Platini, pela vitória do Catar contra os norte-americanos, disse um porta-voz de Blatter nesta quarta-feira.

No entanto, o desejo de Blatter para que os dois torneios fossem para “as duas maiores potências políticas” não foi uma decisão pré-arranjada”, afirmou Klaus Stoehlker à Reuters.

"Isso não foi um acordo. Isso era a proposta dele, e, claro, isso foi para o voto no comitê executivo (da Fifa)”, declarou ele.

Numa entrevista para a agência de notícias russa TASS, no qual ele acusou Platini de participar do que chamou de ataques contra ele, Blatter descreveu a votação dupla para as Copas, em 2010, como o catalisador na crise da entidade que gere o futebol mundial.

A ocasião levou ao pior escândalo da história da Fifa, com 14 autoridades do futebol e executivos de marketing indiciados nos Estados Unidos em maio por propina, lavagem de dinheiro e fraude numa investigação de milhões de dólares em andamento.

Blatter e Platini cumprem ambos uma suspensão de 90 dias imposta pelo comitê de ética da Fifa, que examina um pagamento de 2 milhões dólares de Blatter para Platini em 2011, caso que também é parte de uma investigação criminal suíça.

"Tivemos uma discussão sobre a Copa do Mundo e então fomos para uma decisão dupla”, disse Blatter à agência TASS.

“Para as Copas do Mundo foi acordado que elas iriam para a Rússia (em 2018)... e para 2022 voltaríamos para os EUA. Dessa maneira, nós teríamos a Copa nas duas principais potências políticas.”

Blatter declarou que um almoço entre Platini, autoridades do Catar e o então presidente da França, Nicolas Sarkozy, levou o presidente da Uefa a mudar de opinião.   Continuação...

 
Presidente da Fifa Blatter durante evento em São Petersburgo. 25/7/2015. REUTERS/Maxim Shemetov