Hamilton não vê razão para ajudar Rosberg a ser vice-campeão

quinta-feira, 29 de outubro de 2015 19:12 BRST
 

Por Alan Baldwin

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - O tricampeão mundial Lewis Hamilton disse ver poucos motivos para tentar ajudar o companheiro de Mercedes, Nico Rosberg, a bater Sebastian Vettel, da Ferrari, na luta pelo vice-campeonato da Fórmula 1.

O britânico também afirmou a repórteres no Grande Prêmio do México que os dois pilotos não falaram sobre a primeira volta do GP dos Estados Unidos, no último fim de semana, ou sobre o incidente com um boné antes da cerimônia do pódio.

"Nós não falamos, eu não acho realmente que precisamos fazer isso", disse Hamilton, que conquistou sua 10ª vitória na temporada no Texas no último domingo, para ganhar seu terceiro título mundial.

"A equipe não me pediu para apoiá-lo... estou aqui para ganhar a corrida... A equipe venceu o campeonato de construtores, então eu acho que a partir de agora não há realmente um benefício enorme para a equipe eu começar a ajudar. Vamos ver o que (o diretor de automobilismo) Toto (Wolff) quer que eu faça."

Rosberg está quatro pontos atrás de Vettel restando três corridas para o fim do campeonato e, depois de três vitórias e sete segundos lugares em 16 corridas até agora, precisa ultrapassar o seu compatriota alemão.

Rosberg começou na pole em Austin, mas Hamilton fez a primeira curva por dentro e os dois bateram rodas, com o alemão caindo para quarto. Ele se recuperou para retomar a liderança, mas depois cometeu um erro e entregou a vitória a Hamilton.

Depois da prova, Hamilton jogou em direção ao companheiro um boné na sala de espera do pódio e Rosberg o atirou de volta de forma rude. O britânico classificou o incidente de "muito engraçado" e disse que não havia muito a acrescentar.

 
Piloto britânico de F1 Lewis Hamilton, da Mercedes, durante entrevista coletiva na Cidade do México nesta quinta-feira. 29/10/2015 REUTERS/Edgard Garrido