Dirigente de futebol turco "sequestra" árbitro e provoca intervenção de presidente

sexta-feira, 30 de outubro de 2015 12:28 BRST
 

ANCARA (Reuters) - O presidente do time de futebol turco Trabzonspor trancou um árbitro e três auxiliares em um estádio de quarta para quinta-feira por não terem concedido um pênalti à equipe, e só os liberou, sob escolta de forças especiais, após um telefonema do presidente da Turquia, Tayyip Erdogan.

Enfurecido, o dirigente Ibrahim Haciosmanoglu ordenou a detenção do árbitro Cagatay Sahan e de seus assistentes depois que o Trabzonspor teve uma penalidade negada nos minutos finais da partida da primeira divisão contra o Gaziantepspor, que terminou empatada em 2 x 2.

Uma multidão de torcedores revoltados se reuniu do lado de fora da arena e os árbitros ficaram trancados até as primeiras horas da quinta-feira, quando ocorreu a intervenção pessoal de Erdogan, com quem Haciosmanoglu disse ter “um laço de amor e respeito”.

“Eu mandei (os seguranças do estádio) não soltarem os árbitros até de manhã, até eu chegar (ao estádio), mas uma pessoa muito importante me ligou e me pediu para não causar constrangimento na Turquia e no mundo, mas ele prometeu que o incidente (do pênalti) será investigado”, afirmou Haciosmanoglu em uma entrevista à agência de notícias Dogan em referência a Erdogan.

Fontes da Presidência não estavam disponíveis para comentários. A Federação Turca de Futebol iniciou uma investigação do incidente.

(Por Ece Toksabay)

 
Jogadores do time de futebol turco Trabzonspor durante partida da Liga Europa, na Polônia.  11/12/2014       REUTERS/Kacper Pempel