Marin se declara inocente nos EUA; juiz estabelece fiança de US$15 mi

terça-feira, 3 de novembro de 2015 19:35 BRST
 

NOVA YORK (Reuters) - O ex-presidente da CBF José Maria Marin se declarou inocente em um tribunal dos Estados Unidos nesta terça-feira, cinco meses depois de ter sido preso sob acusações de corrupção em um escândalo na Fifa.

Marin compareceu a um tribunal federal no Brooklyn, em Nova York, após ser extraditado da Suíça para os Estados Unidos. Em audiência nesta terça-feira, um juiz determinou fiança de 15 milhões de dólares e prisão domiciliar com monitoramento eletrônico.

Marin, de 83 anos, é um dos sete dirigentes ligados à Fifa que foram presos em maio em um hotel de Zurique, após serem indiciados pelos EUA por acusações de corrupção.

Promotores norte-americanos acusaram Marin de aceitar suborno envolvendo direitos de marketing esportivo.

(Reportagem de Nate Raymond e Brendan Pierson em Nova York)

 
Então presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin, durante entrevista coletiva no Rio de Janeiro. 28/06/2013 REUTERS/Sergio Moraes