14 de Novembro de 2015 / às 19:49 / 2 anos atrás

Irmão mais velho de Andy, Jamie Murray finalmente brilha nas duplas

LONDRES (Reuters) - Desde sua estreia esportiva na cidade escocesa de Dunblane, quando era considerado uma aposta melhor que seu irmão caçula, Jamie Murray praticamente viveu à sombra de Andy – até este ano.

Agora com 30 anos e uma carreira que ameaçava se apagar justo quando a de Andy está em alta, Jamie está florescendo e promete brilhar no ATP World Tour Finals, último torneio da temporada que começa no domingo.

Ao lado do australiano John Peers, Jamie irá dar a largada no evento londrino contra os italianos Fabio Fognini e Simone Bolelli depois de se classificar com parte de uma das oito melhores duplas graças à chegada às finais de Wimbledon e do Aberto dos Estados Unidos.

Número dois do mundo, Andy terá que esperar até segunda-feira, quando encara o espanhol David Ferrer na disputa de simples, e está feliz de compartilhar os holofotes com o irmão.

"Jamie está tendo um ano incrível e estou muito orgulhoso de tudo que ele tem conquistado na quadra", disse Andy, cuja parceria com o irmão nas duplas foi fundamental para a Grã-Bretanha alcançar a final da Copa Davis este mês.

"Alguém me disse que é a primeira vez que irmãos se classificam para este evento em simples e duplas. Não sei se é verdade, mas imagino que seja bem raro".

"Tinha esperança de ter um dia de jogos no qual ele estivesse disputando duplas e eu simples, mas estamos em dias alternados, infelizmente".

Pelo menos em um sentido Jamie sempre poderá se gabar diante de Andy: ele foi o primeiro a conquistar um título de Grand Slam, quando ergueu o troféu de duplas mistas com Jelena Jankovic em Wimbledon em 2007.

Depois disso, entretanto, ele só obteve cinco títulos menores em cinco anos até se juntar a Peers no início de 2013 e voltar ao trabalho com o renomado treinador de duplas Louis Cayer.

Desde então sua ascensão tem sido espetacular, e a classificação para o ATP Tour Finals é o reconhecimento de um dos maiores expoentes de duplas que a Grã-Bretanha já produziu.

"Isso mostrou ser uma boa decisão", afirmou Jamie à Reuters.

"Eu estava penando para vencer muitas partidas antes disso, mas John e eu confiamos na habilidade um do outro e deu certo, tivemos bons resultados nos maiores eventos".

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below