Médicos do Rio alertam sobre possível crise na Olimpíada

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016 18:43 BRST
 

Por Caio Saad

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O presidente do Sindicato de Médicos do Rio de Janeiro, Jorge Dazre, alertou nesta segunda-feira sobre a possibilidade de uma crise na área da saúde prejudicar os turistas que visitarão a cidade durante os Jogos Olímpicos deste ano.

Em entrevista coletiva no Rio de Janeiro, Dazre disse que a intenção do sindicato é alertar os turistas sobre a situação precária da rede de saúde do Estado, que sofre uma das piores crises de sua história, e comunicou sobre a possibilidade de entrar na Justiça contra o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) por crime de responsabilidade.

"Já temos aqui preparado, do Sindicato dos Médicos, dados do ponto de vista jurídico que mostram que já existem condições de vincular a figura do governador ao crime de responsabilidade... A saúde teve uma gestão temerária durante os últimos anos, e o governador Pezão não é novo no governo, ele já convivia com a crise que o Estado vive há algum tempo. Essa situação se agravou mais durante seu governo”, disse.

Procurado pela Reuters, o governo do Estado informou que não iria se posicionar sobre as declarações.

A menos de oito meses da Olimpíada, o intuito de revelar a preocupação não é para evitar que turistas venham, segundo o presidente do sindicato, e sim fazer com que entendam o cenário desfavorável aos que podem adoecer no país e a dificuldade em encontrar atendimento médico.

"Não é evitar que as pessoas venham, mas fazer com que as pessoas que venham saibam que não terão um cenário de facilidades no momento que adoecerem no Brasil... Vamos ter uma Olimpíada em plena crise, com população aumentada e risco de não ter para onde correr", afirmou Dazre.

 
Homem passa em frente a hospital estadual no Rio de Janeiro. 07/01/2016 REUTERS/Pilar Olivares