Djokovic admite aproximação indireta de manipuladores e questiona patrocínios de casas de apostas

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016 12:10 BRST
 

Por Nick Mulvenney

MELBOURNE (Reuters) - O tenista número um do ranking mundial, Novak Djokovic, disse que, no início de sua carreira, um membro de sua equipe foi abordado com o objetivo de manipular uma partida, e questionou se casas de apostas deveriam ser autorizadas a patrocinar grandes torneios de tênis.

O atual campeão do Aberto da Austrália falou após o esporte ser abalado pelas acusações de que as autoridades falharam ao lidar com a manipulação generalizada de resultados das partidas.

Djokovic disse que, até onde sabe, não tem acontecido mais esse problema, que ele descreveu como sendo um “crime no esporte” na elite do tênis, mas acrescentou que foi abordado indiretamente para entregar um jogo.

“Não fui abordado diretamente, foi através do pessoal da minha equipe”, disse ele, após sua partida de estreia no torneio contra o adolescente sul-coreano Chung Hyeon nesta segunda-feira.

“Claro que recusamos. A pessoa tentou falar comigo, mas não conseguiu chegar diretamente a mim. Não foi nada além disso. Infelizmente, houve alguns naqueles tempos, naqueles dias, boatos, alguns falaram, algumas pessoas rodeando. Elas foram compradas. Nos últimos seis, sete anos, não ouvi nada parecido".

 
Sérvio Djokovic durante intervalo de partida no Aberto da Austrália. 18/01/2016 REUTERS/Jason Reed