Djokovic e Federer avançam para as oitavas do Aberto da Austrália

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016 13:38 BRST
 

MELBOURNE (Reuters) - O tenista sérvio Novak Djokovic avançou para as oitavas de final do Aberto da Austrália nesta sexta-feira com uma vitória sobre o italiano Andreas Seppi por 6-1, 7-5 e 7-6, em um dia em que o suíço Roger Federer também garantiu vaga entre os 16 melhores do torneio.

Djokovic, cinco vezes campeão do Aberto de Austrália, abriu vantagem de 5-0 logo no primeiro set e logo depois fechou a primeira parcial em apenas 25 minutos contra Seppi, que no ano passado eliminou Federer em quatro sets nessa mesma rodada.

Nos dois sets seguintes, Seppi mostrou uma recuperação notável, mas não suficiente para impedir que o número um do mundo vencesse a partida e garantisse sua vaga nas oitavas contra o francês Gilles Simon, que derrotou o argentino Federico Delbonis por 6-3, 6-2 e 6-1.

"Deveria estar satisfeito com uma vitória em sets corridos, porque especialmente no terceiro set poderia ter acabado de forma diferente", disse Djokovic a jornalistas após a vitória.

"Ainda não estou muito satisfeito com certos momentos do segundo e do terceiro sets. Acho que poderia ter jogado melhor... Mas joguei contra um jogador de qualidade, que eliminou o Federer no ano passado", acrescentou.

Federer teve mais problemas para alcançar as oitavas em Melbourne, e precisou lutar ao longo de quatro sets para se impor contra o búlgaro Grigor Dimitrov por 6-4, 3-6, 6-1 e 6-4 e conseguir sua vitória de número 300 em torneios do Grand Slam.

O suíço agora enfrentará o belga David Goffin na disputa por uma vaga nas quartas de final.

Entre outros pré-classificados que avançaram nesta sexta-feira estão o tcheco Tomas Berdych, que derrotou o australiano Nick Kyrgios por 6-3, 6-4, 1-6 e 6-4; o japonês Kei Nishikori, que venceu o espanhol Guillermo García-López; e o francés Jo-Wilfried Tsonga, que bateu o compatriota Pierre-Hugues Herbert por 6-4, 7-6 e 7-6.

(Reportagem de Greg Stutchbury e Ian Ranson)

 
Tenista sérvio Novak Djokovic durante partida no Aberto da Austrália.   22/01/2016    REUTERS/Jason O'Brien