COI vai divulgar recomendações sobre Zika em meio a surto antes da Rio 2016

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016 18:38 BRST
 

Por Karolos Grohmann e Stephen Eisenhammer

ATENAS/RIO DE JANEIRO (Reuters) - O Comitê Olímpico Internacional (COI) vai divulgar uma nota com recomendações nesta semana diante do surto do vírus Zika que está se espalhando rapidamente pela América do Sul, meses antes dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em agosto.

O presidente do COI, Thomas Bach, disse nesta quinta-feira que as orientações seriam enviadas para os comitês olímpicos nacionais “hoje ou amanhã o mais tardar”, em meio aos preparativos no Rio para o maior evento esportivo mundial e para os primeiros Jogos na América do Sul.

"Vamos fazer tudo para assegurar a saúde dos atletas e de todos os visitantes”, declarou Bach à imprensa durante visita à capital grega.

"Estamos em contato direto com a Organização Mundial de Saúde (OMS) e também com o comitê organizador e as autoridades brasileiras.”

A OMS alertou nesta quinta-feira que a doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, ligada a má formações de nascimento em milhares de bebês, estava se espalhando de maneira “explosiva” e poderia afetar até 4 milhões de pessoas nas Américas.

O vírus, que tem relação com o da dengue e o da chikungunya, causa irritação na pele, febre e olhos vermelhos. Cerca de 80 por cento dos infectados tipicamente não apresentam sintomas, tornando difícil para as gestantes determinarem se elas contraíram o vírus. Não há vacina ou tratamento disponível hoje.

Os organizadores da Olimpíada deste ano no Rio afirmaram em comunicado que os Jogos, que ocorrerão entre 5 e 21 de agosto, serão disputados no inverno, quando “o clima mais seco e menos quente reduz significativamente a presença dos mosquitos”.

Eles completaram que uma reunião estava programada na sede do COI, em Lausanne, a partir de 1° e 2 de fevereiro, para que os comitês nacionais discutissem o tema.   Continuação...

 
Funcionários municipais lançam inseticida no Sambódromo do Rio.  26/1/2016.  REUTERS/Pilar Olivares