Djokovic luta para manter lobos famintos afastados

domingo, 31 de janeiro de 2016 14:46 BRST
 

Por Greg Stutchbury

MELBOURNE (Reuters) - A batalha para ficar no topo do tênis mundial é como uma briga para manter lobos famintos afastados, disse Novak Djokovic neste domingo, após vencer a final contra Andy Murray por 6-1 7-5 e 7-6(3) e igualar o recorde atual de seis títulos conquistados no Aberto da Austrália.

Apesar de dominar o esporte atualmente, assim como Roger Federer o fez há uma década, o melhor jogador do mundo, de 28 anos, busca agora se manter à frente de um grupo feroz de jogadores em seu encalço, incluindo o derrotado Murray.

“Eu escutei uma boa metáfora ontem, sobre o lobo que corre morro acima ser mais faminto que o lobo que está no topo do morro”, disse ele a jornalistas.

“Creio que todos esses caras que estão por aí, lutando a cada semana para ser o número um, estão muito famintos para se tornarem o número um, e eu sei disso...”, acrescentou Djokovic.

“Eu acho que você precisa trabalhar duas vezes mais duro quando está lá em cima.”

Não resta dúvidas de que, na forma atual, Djokovic encontra-se seguramente superior a seus rivais.

Após aparecer em todos as quatro finais de grand slam do ano passado, vencendo três, o sérvio era um dos grandes favoritos para se tornar campeão do Aberto da Austrália. Ele agora se iguala a Roy Emerson como hexacampeão do torneio.