Apesar de derrotado, Murray deixa Aberto da Austrália aliviado

domingo, 31 de janeiro de 2016 15:15 BRST
 

Por Ian Ransom

MELBOURNE (Reuters) - Com mais um título do Aberto da Austrália escapando entre os dedos, e após um torneio repleto de dramas fora de quadra, Andy Murray mal pôde esperar para dar as costas ao Melbourne Park depois de perder sua quinta final, neste domingo.

Murray sofreu uma derrota desanimadora, com parciais de 6-1 7-5 e 7-6(3), para Novak Djokovic, o mesmo homem que o derrubou em suas três finais anteriores do torneio, em 2011, 2013 e no ano passado.

Ele se tornou o segundo homem da história do tênis profissional a perder cinco finais de um mesmo grand slam, embora o outro, Ivan Lendl, tenha vencido três vezes o Aberto dos Estados Unidos, entre 1985 e 1987, depois de sofrer suas derrotas.

Assim como no jogo com Roger Federer em 2010, Murray lutou firme no segundo e no terceiro sets contra Djokovic, mas a partida fez pouco para convencer seus fãs de que o escocês poderá um dia quebrar sua onda de azar diante do sérvio.

Sob qualquer ângulo, Murray teve duas semanas estafantes e esteve constantemente preocupado com sua mulher, que está com gravidez avançada na Grã-Bretanha.

Ele também se viu abalado na metade do torneio por uma emergência médica envolvendo o pai dela, Nigel Sears, que caiu na Rod Layer Arena enquanto treinava Ana Ivanovic, sendo levado às pressas para o hospital.

Por tudo isso, Murray não pôde fazer muito, a não ser ver alguma graça ao aceitar o troféu de segundo colocado pela quinta vez.

“Sinto como se eu tivesse estado aqui antes”, disse o britânico ao abrir seu discurso como segundo colocado.