Rio 2016 diz que Zika preocupa, mas não causou desistência de ingressos e viagens

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016 15:43 BRST
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O comitê organizador Rio 2016 afirmou nesta terça-feira estar preocupado com a disseminação do vírus Zika, assim como a Organização Mundial da Saúde (OMS), mas garantiu que até agora não registrou devoluções de ingressos ou cancelamentos de viagens para os Jogos em decorrência de temores com a doença.

Apesar de a OMS ter alertado para a disseminação de "forma explosiva" do mosquito transmissor da doença, o Aedes aegypti, com possibilidade de infectar 4 milhões de pessoas nas Américas, os organizadores dos Jogos disseram que turistas continuam interessados em viajar à cidade para o evento.

"Não houve desistência de ingressos nem cancelamento de viagens", afirmou o diretor de Comunicação do Rio 2016, Mario Andrada, em entrevista coletiva sobre os seis meses finais de preparação para o evento.

As preocupações com o Zika no Brasil aumentaram em consequência dos cerca de 4 mil casos suspeitos de má-formação craniana em recém-nascidos registrados no país relacionados ao vírus, o que levou a agência de saúde da ONU a declarar uma emergência internacional de saúde pública.

Até o momento, a entidade sediada na Suíça não impôs restrições ao trânsito de pessoas, mas o ministro-chefe da Casa Civil, Jaques Wagner, reconheceu na segunda-feira que pode haver um “recolhimento” do turismo no Brasil. [nL2N15H0HU]

O Rio 2016 disse que seguirá as orientações da OMS sobre recomendações de viagens à cidade.

"As informações devem ser repassadas pelas autoridades públicas e a OMS, e até o momento não estamos preocupados em termos de não aconselhar as pessoas a virem para o Rio durante os Jogos", disse o chefe da área médica do comitê organizador, João Grangeiro.

Sobre mulheres grávidas com planos de viajar à cidade para a Olimpíada, Granjeiro reiterou as orientações da OMS.

"A OMS entende que as mulheres grávidas são um grupo de risco, e nesse grupo de risco é importante para as mulheres grávidas visitarem seu médico, discutirem com o seu médico possíveis problemas que podem acontecer vindo para cá e possivelmente sendo infectadas pelo Zika, e como elas devem prevenir", disse.   Continuação...

 
Diretor de Comunicação do Rio 2016, Mario Andrada, durante evento no Rio de Janeiro.  02/02/2016   REUTERS/Ricardo Moraes