February 11, 2016 / 3:11 PM / in a year

EUA vão contratar especialistas em doenças para dar orientação sobre Zika antes da Rio 2016

2 Min, DE LEITURA

Funcionário municipal espalha inseticida contra Aedes aegypti em Afogados, Recife 2/2/2016Ueslei Marcelino

(Reuters) - O Comitê Olímpico dos Estados Unidos (Usoc) vai pedir a dois especialistas em doenças infecciosas que deem conselhos a possíveis membros de delegação norte-americana para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro que estejam preocupados com o surto de Zika vírus no Brasil.

"Sei que o surto de Zika vírus no Brasil é motivo de preocupação para muitos de vocês", escreveu o presidente-executivo do Usoc, Scott Blackmun, em carta aos possíveis atletas olímpicos dos EUA.

"Quero enfatizar que também é para nós, e que o bem-estar de vocês no Rio é a nossa maior prioridade", acrescentou.

O Brasil, país mais afetado pelo Zika, estabeleceu no ano passado a relação entre o vírus e um surto de microcefalia em recém-nascidos na Região Nordeste do país, o que aumentou os temores com relação à doença.

O Ministério da Saúde investiga 3.670 casos suspeitos no Brasil de microcefalia (má-formação cerebral). Até 30 de janeiro, segundo o balanço mais recente, 404 casos tiveram confirmação de microcefalia e outras alterações no sistema nervoso central, sendo que 17 foram relacionados ao Zika, segundo o governo.

Por Tony Jimenez

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below