Candidato à Fifa diz que política interna afetava tabela de jogos das seleções

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016 18:52 BRST
 

Por Brian Homewood

GENEBRA (Reuters) - Algumas seleções nacionais receberam tabelas desfavoráveis de jogos por não seguirem a linha política interna da Fifa, organização que comanda o futebol mundial, disse o candidato jordaniano a presidente da entidade nesta quinta-feira.

O príncipe Ali Bin Al Hussein, um dos cinco candidatos que competem para dirigir a Fifa, descreveu um clima de medo e represálias dentro da entidade atingida por escândalos, cujo presidente de saída, Joseph Blatter, foi suspenso em outubro e banido do futebol por oito anos em dezembro.

“Deixa eu te dizer o que acontece quando você não segue os poderes reconhecidos na Fifa”, disse o príncipe Ali, que é presidente da federação jordaniana de futebol, à imprensa.

"Projetos de desenvolvimento misteriosamente param, propostas para sediar torneios ficam de repente comprometidas ou são retiradas, seleções nacionais começam misteriosamente a ter tabelas, e mesmo árbitros, menos favoráveis.”

"Isso tudo são maneiras eficazes de punir associações integrantes que não demonstram lealdade política.”

A Fifa vive a sua pior crise em 111 anos de história, com investigações sobre corrupção em andamento na Suíça e nos Estados Unidos. Dezenas de pessoas, incluindo importantes dirigentes de futebol, foram indiciadas.