Candidato francês se queixa de observadores em eleição presidencial da Fifa

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016 18:00 BRT
 

Por Brian Homewood

ZURIQUE (Reuters) - Jérôme Champagne, candidato à presidência da Fifa, protestou à entidade que administra o futebol mundial sobre o número de observadores que terão acesso ao local da votação de sexta-feira, dizendo acreditar que estão trabalhando para seus adversários.

Champagne disse que as credenciais de 20 observadores foram dadas à Uefa, cujo secretário-geral, Gianni Infantino, concorre ao posto, e sete à Confederação Asiática de Futebol, cujo presidente, o xeique Salman bin Ebrahim Al Khalifa, também está na corrida presidencial.

    Em uma carta à comissão eleitoral da Fifa, vista pela Reuters, Champagne disse que a presença dos observadores das confederações pode influenciar injustamente a eleição de sexta-feira porque eles terão acesso aos delegados que irão votar.

    "A lista de nomes de pessoas que se beneficiam destas autorizações revela a presença da maioria dos membros das equipes de campanha destes dois candidatos (Infantino e o xeique Salman)", afirmou o francês em sua carta.

    Ele disse à Reuters por telefone que as autorizações de que se queixa extrapolam as oito já concedidas a cada candidato e sua respectiva equipe.