Ecclestone elogia mudanças na F1 após "despertar" das equipes

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016 10:44 BRT
 

Por Alan Baldwin

BARCELONA (Reuters) - Bernie Ecclestone, o chefão da Fórmula 1, disse que o esporte vislumbra um futuro mais brilhante agora que as equipes concordaram com um novo formato de classificação a partir da próxima temporada, embora tenha defendido uma abordagem ainda mais radical para animar as corridas.

Falando à Reuters dois dias depois de dizer que a F1 atual está em seu pior momento e que não levaria sua família para assistir às provas, o diretor-executivo da administração da Fórmula 1 adotou um tom mais positivo.

"Acho que agora eu acreditaria mais que veremos boas corridas", disse ele em entrevista por telefone. "Aí vou ficar feliz".

Ecclestone disse que as escuderias, que aceitaram o novo modelo classificatório na terça-feira, finalmente acordaram e deram um passo na direção certa, e que novas mudanças virão.

"O que as pessoas precisavam era de uma chacoalhada. Parece que sou a única pessoa que achava que devíamos fazer alguma coisa na Fórmula 1 para acordar todo mundo um pouco. E talvez tenha sido isso o que aconteceu".

O grupo estratégico da modalidade, que inclui Ecclestone, as seis principais equipes e a Federação Internacional de Automobilismo (FIA), aprovaram uma série de medidas –que ainda aguardam a ratificação formal da FIA– em Genebra na terça-feira.

As alterações têm como objetivo tornar os carros mais velozes, mais barulhentos, mais difíceis de pilotar e mais agressivos para a temporada de 2017.

O novo formato de classificação foi aprovado por unanimidade, o que significa que pode ser adotado na prova de abertura do calendário, o Grande Prêmio da Austrália do dia 20 de março, em vez de entrar em vigor só daqui a um ano.

Conforme o novo procedimento, os pilotos mais lentos serão eliminados à medida que a sessão de treino progride, e não mais ao final de cada fase. Já a disputa final pela pole position será entre dois pilotos, e não dez.