Olimpíada do Rio vai cobrar delegações por telas contra o Zika

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016 20:48 BRT
 

Por Pedro Fonseca e Paulo Prada

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Mesmo com atletas cada vez mais preocupados com o surto do Zika vírus no Brasil, o comitê organizador dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro afirmou que vai cobrar uma quantia das delegações dos países se elas quiserem telas contra mosquitos nos quartos dos competidores.

As telas, uma precaução que os brasileiros estão adotando para ajudar a evitar o mosquito Aedes aegypti, transmissor do Zika, serão instaladas em áreas comuns, “onde necessário”, mas serão colocadas nos alojamentos somente se as delegações decidirem pagar por isso, afirmou Philip Wilkinson, um porta-voz do comitê organizador Rio 2016.

O comitê não disse quanto as telas custariam ou que tipo seriam usadas. Telas de menor custo fixadas nas janelas com velcro podem custar 40 reais, enquanto as mais firmes e duráveis podem passar de 400 reais.

Um número crescente de atletas internacionais nas últimas semanas afirmaram estar preocupados com o Zika, vírus que no Brasil é associado com mais de 4.000 casos suspeitos de microcefalia, uma má-formação cerebral em recém-nascidos.

O controle eficaz dos mosquitos tem sido apontado como o fator mais importante para evitar a transmissão. Organizadores dos Jogos do Rio afirmam que estão seguindo as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Os organizadores dos Jogos e as autoridades municipais dizem que os locais de competição e as principais atrações turísticas serão inspecionadas diariamente durante a Olimpíada, que começa no dia 5 de agosto e vai até o dia 21 do mesmo mês, para assegurar que não haja acúmulos de água ou outros possíveis pontos de procriação dos insetos.

Wilkinson declarou que os organizadores vão disponibilizar repelentes nas áreas de alojamento, e que os quartos dos atletas terão ar-condicionado.

Ainda assim, delegações estão tomando medidas extras para proteger os seus atletas. No início deste mês, a equipe australiana afirmou ter assinado um contrato de patrocínio com um fabricante de repelentes para fornecer o produto aos seus atletas.   Continuação...