Agência mundial antidoping vê progresso em iniciativas do Quênia

terça-feira, 1 de março de 2016 11:43 BRT
 

Por Karolos Grohmann

LAUSANNE, Suíça (Reuters) - O Quênia encontrou uma forma de financiar uma estrutura antidoping e preparou a legislação necessária, mas o país africano ainda precisa cumprir o combinado até 5 de abril, ou corre o risco de desobedecer as normas, disse Craig Reedie, chefe da Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês), nesta terça-feira.

A Wada deu ao Quênia, nação de destaque na corrida de longa distância, um prazo vencido em fevereiro para implementar novos regulamentos na nação, onde cerca de 40 atletas foram banidos por doping nos últimos três anos.

Os quenianos precisam criar e custear uma agência nacional antidoping, entre outras coisas, que necessitará de aprovação da Wada.

Se o Quênia não cumprir estes compromissos, sua delegação de atletismo pode ficar fora da Olimpíada do Rio de Janeiro de 2016, que transcorre em agosto.

Os atletas russos já foram impedidos de competir, e a Rússia luta para voltar a ser considerada um país em dia com suas obrigações a tempo para os Jogos.

Reedie disse estar "esperançoso", mas acrescentou que depende do governo queniano cumprir as metas.

No mês passado, uma autoridade de alto escalão da delegação de atletismo do Quênia disse que a Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF, na sigla em inglês), ela mesmo pressionada para ser mais rígida com o doping, planejava impedir seu país de participar da Rio 2016 para que "o mundo entenda quão sérios eles são".

 
Atletas quenianos protestam em frente à sede da federação queniana de atletismo após revelação de casos de acobertamento de doping. 23/11/2015 REUTERS/Noor Khamis