Brasil vai negociar com clubes liberação de Neymar e outros jogadores para Olimpíada

quinta-feira, 3 de março de 2016 18:41 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A comissão técnica da seleção brasileira vai iniciar uma peregrinação pela Europa a partir da próxima semana para negociar com clubes a liberação de jogadores para a Olimpíada do Rio de Janeiro, em especial o Barcelona, do atacante Neymar.

O calendário da seleção em 2016 está bastante apertado com compromissos das eliminatórias da Copa de 2018, Copa América e Olimpíada. Somente as duas primeiras competições são do calendário da Fifa e os clubes são obrigados a ceder os atletas, mas no caso da Olimpíada não há essa obrigação.

Ciente do problema, o técnico Dunga e integrantes da comissão pretendem encontrar uma solução negociada para o impasse.

“Temos a nossa programação e vamos segui-la. A Copa América é no calendário da Fifa e temos que conversar com Barcelona e demais equipes para chegarmos a um acordo que seja bom para as duas partes”, afirmou Dunga em entrevista coletiva nesta quinta-feira.

“É uma nova forma de trabalhar. Eles são patrimônio do clube e temos que expor e ouvir ideias. Temos trocado informações com os clubes com frequência.”

O grande temor da comissão é não poder contar com Neymar na Olimpíada do Rio, onde o Brasil buscará sua primeira medalha de ouro no futebol. Recentemente, representantes do Barcelona sinalizaram que só aceitariam ceder o atleta para uma das competições, ou Copa América ou Olimpíada.

Dunga conta com a vontade de Neymar para convencer o time catalão. “É importante o jogador querer estar na seleção, fazer sua história, ser ganhador, estar no museu da seleção. Acho que o jogador ter essa vontade dentro de si é importante“, declarou o treinador.

Neymar, de 24 anos, foi chamado para os jogos deste mês das eliminatórias contra Uruguai e Paraguai, e volta à seleção em um momento de problemas com a Justiça por suposta sonegação fiscal no Brasil e na Espanha.

“Todos somos seres humanos e de uma forma ou outra sentimos (essas cobranças extra campo), mas apesar da pouca idade tem grande experiência“, disse Dunga.

“Sei que a Justiça tem que fazer seu trabalho, mas cada vez que ele vem para a seleção tem um problema e isso me traz mais um problema. Gostaria como treinador que os jogadores chegassem aqui serenos”, finalizou Dunga.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)

 
Neymar durante partida do Barcelona contra o Arsenal pela Liga dos Campeões. 23/02/2016 REUTERS/Toby Melville