Governo pressiona para obra do Velódromo ficar pronta para evento-teste, diz ministro

segunda-feira, 14 de março de 2016 19:13 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - As autoridades estão colocando pressão nas construtoras envolvidas na obra do Velódromo Olímpico, a mais atrasada na preparação dos Jogos do Rio de Janeiro, para que o local fique pronto a tempo do evento-teste, afirmou o ministro do Esporte, George Hilton, nesta segunda-feira.

Desde o começo deste ano, a obra do Velódromo se tornou a maior dor de cabeça da organização dos Jogos, e está com cerca de 83 por cento de execução. No fim de abril está programado para ser realizado no local um evento-teste para a Olimpíada que já foi prorrogado em virtude do atraso no cronograma de obras.

A empresa responsável pelo Velódromo, no Parque Olímpico da Barra, entrou em dificuldade financeira e repassou a obra para uma outra construtora que foi subcontratada para finalizar o empreendimento.

“Aqui no caso do Velódromo, que tinha um pouco de atraso, a gente começa a fazer pressão sobre as empresas que assumiram e o comprometimento delas é que vão entregar a tempo“, disse o ministro a jornalistas após visitar o Parque Olímpico, coração dos Jogos deste ano.

A cidade precisou construir um novo Velódromo para receber as provas de ciclismo porque o antigo, erguido para os Jogos Pan-Americanos de 2007, não atendia aos padrões da Olimpíada e acabou sendo demolido. O novo Velódromo tem custo estimado em cerca de 140 milhões de reais.

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, que esteve na visita, afirmou que o Parque Olímpico “está praticamente pronto” para os Jogos, que serão realizados em agosto.

Apesar disso, só na semana passada a prefeitura apresentou um projeto de urbanização da Vila Autódromo, que fica em um dos acessos ao Parque Olímpico. A remoção de famílias é cercada de polêmicas e casas tiveram que ser derrubadas por conta da Olimpíada.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)