Futebol: Gana empata, Quênia perde em casa e causa revolta na torcida

domingo, 27 de março de 2016 17:58 BRT
 

JOHANESBURGO (Reuters) - A seleção de Gana deixou de ter uma campanha com 100 por cento de aproveitamento nas eliminatórias para a Copa das Nações Africanas depois de ficar no empate sem gols com Moçambique neste domingo, enquanto torcedores protestaram no Quênia durante uma derrota inesperada para a fraca Guiné-Bissau.

Marcando o início da quarta rodada das eliminatórias, a partida de Gana em Maputo, Moçambique, manteve a equipe no caminho para a classificação para o torneio em 2017 no Gabão, mas mostrou uma seleção muito mais morna em comparação com outros rivais.

Já Guiné Bissau, 147ª colocada no ranking da Fifa, conseguiu sua primeira vitória fora de casa ao surpreender o Quênia por 1 x 0 em Nairóbi e surpreendeu ao alcançar a liderança do grupo E.

O atacante Cícero, nascido em Portugal, marcou o gol da vitória a nove minutos do fim da partida, levando torcedores do Quênia a protestar contra o resultado, o que paralisou a partida por mais de 30 minutos.

O bandeirinha assinalou bola dentro, apontando que o cabeceio de Cícero após escanteio havia cruzado a linha do gol, embora o goleiro do Quênia Arnold Origi tivesse aparentemente defendido a bola.

A confirmação do gol pela arbitragem desencadeou uma revolta dos jogadores quenianos e do público, que atirou objetos em campo, forçando a polícia a lançar gás lacrimogêneo para dissipar o protesto.

Guiné-Bissau tem agora sete pontos no grupo E, um a mais que o Congo e que a campeã da Copa das Nações Africanas de 2012, Zâmbia.

Congo e Zâmbia ficaram no 1 x 1 em Brazzaville. Jordan Massengo, que joga em divisões inferiores do futebol francês, abriu o placar aos 48 minutos, mas Winston Kalengo, da Zâmbia, empatou 20 minutos antes do final.

O capitão Stephane Sessegnon fez dois gols para o Benin, que venceu o Sudão do Sul por 4 x 1 e manteve uma sequência invicta, assumindo a liderança do grupo C.   Continuação...