Catar investiga morte em estádio da Copa do Mundo de 2022

domingo, 1 de maio de 2016 11:55 BRT
 

DOHA (Reuters) - Os organizadores da Copa do Mundo no Catar de 2022 disseram neste domingo que investigam a morte de um trabalhador indiano em um dos locais do evento, mas negaram que teria sido causada pelas condições de trabalho pelas quais o país do Golfo é pressionado para melhorar.  

Juntamente com as acusações de corrupção durante o lance da Copa do Mundo, o Catar tem estado por muito tempo sob o fogo dos grupos de direitos por abusos trabalhistas. Na semana passada, a Fifa pediu para que o Catar acelerasse as melhorias para os trabalhadores nos locais da Copa do Mundo, informando que iria monitorar as condições.

O Catar, exportador de energia com a maior renda per capita do mundo, também está sob pressão das Nações Unidas para direcionar os direitos trabalhistas antes dos picos de construção da Copa do Mundo em 2017.

O trabalhador Jaleshwar Prasad, de 48 anos, morreu na quarta-feira enquanto manuseava estruturas de aço no estádio Al Bayt em Al Khor, 50 km ao norte de Doha, disse uma testemunha à Reuters.

Organizadores afirmaram que a morte não foi causada por condições de trabalho.

(Por Tom Finn)