Agência anti-doping da Rússia não deve ser declarada idônea antes de Olimpíada

sábado, 14 de maio de 2016 14:21 BRT
 

LONDRES (Reuters) - O chefe da Agência Anti-Doping Mundial (Wada, na sigla em inglês) disse neste sábado que a autoridade anti-doping da Rússia não deverá ser declarada como um órgão com atuação dentro das regras do esporte mundial antes da Olimpíada do Rio de Janeiro.

"Eu acho muito pouco provável que a organização consiga estar de acordo com as normas até os Jogos do Rio", disse o presidente da Wada, Craig Reedie, em uma entrevista à rádio BBC neste sábado.

Um relatório sobre o cumprimento das regras pela Rússia seria enviado para o Comitê Olímpico Internacional, que então decidiria se os atletas de atletismo do país podem participar dos Jogos no Brasil, entre 5 e 21 de agosto, ele disse.

O relatório também seria enviado para a Associação Internacional das Federações de Atletas, que tem que tomar uma decisão se cancelará a suspensão à federação de atletismo da Rússia.

Alegações sobre doping sistemático no esporte russo têm sido ventiladas há meses, mas Moscou tem argumentado que as testemunhas não são confiáveis, e se houve erros, foram casos isolados.

Mas comentários de Grigory Rodchenkov, o ex-chefe do laboratório anti-doping do esporte russo, nos quais ele descreve um programa extensivo para trapacear nas Olimpíadas de Inverno de Sochi, levou a crise sobre o uso de drogas no esporte russo a um novo nível de severidade.

Um porta-voz do Kremlim negou as alegações de Rodchenkov, feitas em entrevista para o New York Times, dizendo que elas são "calúnias de um vira-casaca".

O presidente do comitê de atletas da Wada disse na quinta-feira que atletas russos deveriam ser banidos da Olimpíada do Rio, a não ser que houvesse garantias de que não usaram drogas.

Outras alegações do uso de doping por atletas russos apareceram na imprensa americana nesta semana, e Reedie disse à BBC que estava "chocado" pelas acusações, que foram negadas pela Rússia.   Continuação...